terça-feira, 13 de maio de 2014

A GAROTA DA CAPA



*Conto publicado na coluna "O Buraco da fechadura" no blog "Ouro de Tolo" em 29/6/2013
Letícia era uma jovem que se não tinha tudo que queria, não era uma pessoa rica, pelo menos não era pobre e com o esforço dos pais conseguiu ter uma boa vida.
Sempre estudou em colégios particulares e teve do bom e do melhor. Fez curso de inglês, francês, balé e viajou algumas vezes ao exterior. Sua família tinha carro e quando a maré estava boa até empregada doméstica, filha única acabou ganhando o zelo exclusivo dos pais e seu total investimento.
Boa aluna sempre tirando notas altas Letícia era um orgulho pra família e, além disso, era dona de uma grande beleza. Sexy, dona de postura altiva, chique era o sonho de todos os rapazes do colégio, ganhou um concurso de miss na escola e chegou a fazer alguns trabalhos como modelo.
Mas ela queria mesmo era fazer faculdade. Entrou em uma particular de comunicação e arrumou emprego em uma empresa de importações. Arrumou um namorado chamado Elias dono de uma loja de materiais esportivos.
A vida ia bem, tudo em um mar de rosas até que o pai de Letícia sofreu um infarto. Foi um grande drama com o homem entre a vida e a morte, mas acabou se recuperando.
O problema era que o homem que sustentava a família e assim o dinheiro em casa diminuiu bruscamente. Letícia acabou tendo que ajudar no sustento da família com seu emprego.
Mas mesmo assim o dinheiro faltava e a moça ficou com mensalidade da faculdade atrasada. Elias tentou ajudar, mas Letícia era “nariz empinado” e não aceitava ajuda de ninguém.
Entre as várias amizades que Letícia fez na faculdade uma foi Valeria. Loira linda, turbinada, do tipo espetacular que fazia os marmanjos babarem. Letícia e Valéria viraram as melhores amigas de sair juntas pra tomar choppinho e trocar confidências.
Valéria contou a amiga que trabalhava em eventos e Letícia pediu uma força, mas Valéria desconversou e achou melhor não levá-la. Letícia ficou chateada e não entendeu o porque insistindo várias vezes e recebendo recusas.
Mas a situação piorava. Já eram três meses de mensalidades atrasadas com risco de não conseguir renovar para o período seguinte e seu pai precisava de um monte de remédios que o dinheiro não conseguia mais comprar. A saúde do homem estava debilitada, ele não conseguia trabalhar e caía tudo nas costas de Letícia.
Um dia chegou mais cedo na sala de aula para estudar. Tinha prova e a moça não conseguira estudar antes, mas Letícia não conseguia se concentrar com a cabeça longe nos problemas. Sozinha na sala começou a chorar.
Valéria chegou e perguntou o que a amiga tinha. Letícia contou que eram os problemas financeiros e Valéria fez um carinho na cabeça da amiga mandando ela ter fé que tudo daria certo. Letícia olhou para a amiga e novamente pediu ajuda, que arrumasse algum evento para ela. Valéria desconversou e mais uma vez respondeu que não podia. Letícia levantou furiosa e perguntou porque não e que a amiga via a situação dela e não ajudava.
Valéria andou de um lado para o outro, virou pra amiga e não aguentou contando o segredo.
- Eu não faço eventos, trabalho com programas, sou puta!!
Letícia não esperava o que ouviu e sentou estarrecida na cadeira. Valéria chegou perto, sentou-se a frente e contou que por isso não lhe chamava.
Letícia não sabia o que dizer e ficou ali sentada enquanto os outros alunos entravam.
A moça não conseguia parar de pensar na revelação da amiga e fez uma péssima prova não conseguindo se concentrar. Pensava nos seus problemas financeiros, mas não teria coragem de fazer o mesmo que ela, teria que resolver seus problemas de outra forma.
Conseguiu um empréstimo bancário suficiente apenas para amortizar as dívidas, teria que contar com seu pequeno salário para ir pagando as contas do dia a dia, mas até nisso enfrentou problemas.
A empresa que trabalhava passava por dificuldades financeiras e o gerente chamou Letícia para conversar. Contou que a empresa faria cortes e demitiria as pessoas com menos tempo de casa. Infelizmente ela era uma delas.
A moça desesperada contou que precisava daquele emprego, seu pai estava doente, mas em vão. O gerente contou que sentia muito, mas não tinha volta.
Recebeu dinheiro em um acordo, mas logo ele foi embora e Letícia se viu desempregada e sem ter como arrumar dinheiro.
As dívidas aumentavam a cada dia, já recebera aviso da faculdade que não lhe matriculariam devido as dívidas e começou o medo até de não conseguir botar comida em casa. Desesperou-se, não sabia o que fazer e lembrou-se de Valéria.
Não sabia se teria coragem, pensou em Elias e no seu namoro que apesar dos pesares ia bem. Pensou em finalmente aceitar ajuda do rapaz, mas ele também não passava por um bom momento financeiro, a coisa estava feia.
 Um dia chamou Valéria e disse que queria conversar com ela.
As duas andavam afastadas desde a revelação da garota de programa e Valéria quis saber o que Letícia queria.
A moça suspirou firme e abaixando a cabeça com vergonha perguntou se a amiga tinha alguma coisa para ela. Valéria lembrou que não trabalhava com eventos e Letícia sem encarar a amiga nos olhos respondeu que falava de programa mesmo.
Valéria puxou Letícia em um canto e disse que ela não era prostituta, não tinha que se envolver nessa vida, mas Letícia argumentou que precisava e era a única solução de momento para sua vida.
Valéria não concordava e não queria ajudar Letícia, a moça implorou e disse que estava decidida e se ela não ajudasse iria por contra própria. Valéria respirou fundo e falou que veria o que podia fazer.
No dia seguinte Valéria chegou à faculdade e Letícia logo foi em cima da amiga perguntando se tinha algo. Valéria respondeu que sim, dois empresários de passagem pelo Rio de Janeiro e seria algo que duraria três horas. Letícia perguntou quanto e era o equivalente a um salário seu na empresa. 
Letícia sentou assustada e perguntou “esse dinheiro todo por três horas?”. Valéria respondeu que sim, sairiam os quatro pra jantar e depois iriam a um hotel, perguntou se Letícia topava e a menina ficou quieta, pensativa, perguntou de novo e sem olhar a amiga Letícia respondeu que sim.
De noite Letícia foi até o apartamento de Valéria e se espantou com tamanho e a quantidade de coisas que tinha, tudo do bom e do melhor. Letícia perguntou se a moça conseguira tudo aquilo só com programas e Valéria respondeu que sim. Seu telefone tocou, Valéria atendeu e eram os homens. Perguntou se Letícia estava pronta e ela respondeu “vamos”.
Desceram e Valéria apresentou Letícia aos homens como “Anabela”. Os dois casais foram a um restaurante chique da cidade onde beberam vinho, conversaram bastante e eles falaram de seus trabalhos. No fim as meninas foram convidadas para ir a um hotel.
Letícia entrou em um quarto com um dos homens e ele pegou um maço de dinheiro lhe entregando. Letícia contou e viu que estava correto. Guardou na bolsa e o homem se aproximou beijando seu pescoço e acariciando seu corpo. Letícia fechou os olhos e tentou pensar em mais nada.
Chegou em casa com o dinheiro e sem falar com ninguém correu para o banheiro. Esfregava muito o corpo durante o banho e chorava pelo que teve que fazer.
Mas aquele dinheiro entrou em ótima hora e ela pôde pagar algumas contas. Acabou que entrou nessa vida de vez e participando do “casting” de uma agência de prostituição.
Fina, educada, estudada não foi difícil para que Letícia arrumasse clientes poderosos e endinheirados. Conseguiu assim pagar suas contas e dizia estar trabalhando com eventos.
A situação de Elias também melhorou e eles decidiram marcar noivado. Letícia se constrangia por estar enganando o rapaz, mas pensava ser por uma boa causa a sobrevivência da família e jurava a si mesma que assim que arrumasse um trabalho legal pararia.
Letícia continuou estudando, conseguiu pagar todas as suas dívidas e seu pai melhorou. O homem aos poucos voltou ao trabalho e a ajudar na casa. Um dia chegou na filha e disse que uma empresa de importações estava contratando.
Letícia se animou e marcou entrevista. Mas da anti-sala viu que o dono da empresa era um de seus clientes e achou melhor ir embora.
Ela atendia todas as tardes em motéis e no apartamento de Valéria. Nessa vida conheceu homens de todas as espécies e com todas as fantasias. Com alguns até fez amizade e servia como uma espécie de psicóloga.
Jantando uma vez com Elias ela notou que um de seus clientes chegou com esposa e filhos. A moça completamente constrangida tentava se esconder na mesa e percebeu que o homem fazia o mesmo. Elias sem entender perguntou se a namorada tinha alguma coisa e Letícia respondeu que estava passando mal e queria ir embora. 
Letícia continuou batalhando emprego enquanto não estudava ou atendia clientes até que arrumou entrevista em outra empresa e dessa vez sem riscos. Saiu-se bem e ficou na expectativa.
Alguns dias depois veio a confirmação. Estava contratada e o salário era muito bom, muito melhor do que com a empresa que trabalhava antes.
Contou a Valéria que pararia de fazer programas e a amiga comentou “poxa, justo agora que tinha uma ótima pra você?”, Letícia curiosa perguntou o que era e Valéria respondeu “um filme”.
Letícia respondeu que filme não faria era exposição demais e Valéria pediu pra amiga reconsiderar, era grana demais e o filme só seria vendido no exterior. Letícia perguntou quanto e Valéria respondeu. Era uma fortuna que daria pra Letícia começar muito bem a vida de casada com Elias.
Letícia acabou topando e respondeu que era seu último trabalho como prostituta e logo depois seria o fim. Valéria concordou.
Levou Letícia na produtora e o diretor do filme adorou a moça. Contou que seriam três cenas e assinaram contrato.
No dia marcado Letícia estava no estúdio e fez as cenas com profissionalismo. Ao acabar a última colocou um roupão e disse “nunca mais”. Foi até a casa de Elias com uma garrafa de vinho, lingerie sensual e beijou o namorado dizendo que lhe amava e seria sua pra sempre.
Largou a prostituição e começou a trabalhar na empresa de importação. Estudava voltando a tirar notas boas e o pai já trabalhava a todo vapor. A vida parecia voltar ao normal e Letícia em alguns momentos conseguia esquecer aqueles meses difíceis como garota de programa.
O noivado se aproximava. No dia da festa Elias estava em sua loja quando recebeu um pacote. Curioso ele abriu e notou que tinha um DVD dentro, olhou a capa e ficou sem entender, era um DVD pornográfico e o rapaz queria saber porque lhe mandariam um.
Até que ele reparou bem e percebeu que a garota da capa era Letícia.
Levou o DVD pra casa e colocou no aparelho. Estarrecido assistia o filme e via Letícia fazer todas aquelas coisas em cenas. Desligou a TV e chorando e arremessou o aparelho contra a parede.
De noite era o noivado e todos estavam felizes, menos Elias que muito sério só bebia e ficava compenetrado. Letícia perguntou o que ele tinha e Elias respondia que nada.
Na hora de trocar alianças o pai de Letícia chamou todos à sala e convidou o casal a trocar os anéis. Elias pegou a aliança para colocar no dedo de Letícia, mas afirmou que antes precisava mostrar algo.
Pegou a fita e colocou no aparelho de DVD. Todos pararam pra olhar. Letícia viu as cenas e ficou branca, começou a chorar. Enquanto ela gritava pedindo pra tirarem e o pai perguntava o que significava aquilo Elias foi embora.
O tempo passou e Letícia sumiu. Trancou matrícula da faculdade, saiu de casa e largou o emprego. Elias com o tempo começou a sentir falta da ex e remorso pelo que fez. Procurou em sua casa, mas o pai respondeu que não queria saber mais dela e quase expulsou o rapaz a pontapés.
Elias não desistiu de procurar e foi até Valéria perguntar se tinha notícias, a moça respondeu que sim, mas que também não sabia se era uma boa contar. Elias implorou, disse que queria pedir desculpas e Valéria respondeu que ela estava em seu apartamento dando o endereço.
Elias foi até lá e quando Letícia viu quem era tentou fechar a porta. O rapaz botou o pé para impedir e pediu que ela lhe ouvisse. Letícia abriu a porta e Elias pediu perdão pela forma que lhe expôs, estava arrependido e lhe amava demais pedindo para voltar.
Letícia olhou o ex por um tempo, empurrou na parede e lhe beijou. Aos beijos foram pra cama e transaram.
Elias era só sorrisos depois. Fazia planos de morarem juntos e Letícia de forma fria falou “mil reais”. Elias perguntou o que era mil reais e ela respondeu “o preço do programa”.
O rapaz riu, mas depois percebeu que Letícia continuava séria. Ele olhou para a moça que emendou “não costumo aceitar cheques, mas seu eu aceito, você não seria louco de sustar”. Elias perguntou “Letícia que palhaçada é essa?” e Letícia respondeu que para ele era Anabela e que seria bom que pagasse senão ligaria pra policiais amigos seus.
Elias levantou, colocou a roupa, preencheu o cheque e entregou pra Letícia. A moça olhou o cheque e pediu que ele fosse embora porque esperava um cliente.           
Elias olhou Letícia pela última vez e saiu do apartamento. Na porta deu de cara com um homem que entrou para ter seus momentos de prazer.
A garota da capa caía definitivamente na vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário