quinta-feira, 9 de maio de 2013

O LOBO MAU E AS VELHAS FERIDAS


*Coluna publicada no Blog Brasil Decide em 5/5/2013



E o Lobão voltou a atacar. O velho roqueiro que fez muito sucesso nos anos 80 (também criou muitas polêmicas no período) está lançando um livro chamado “Manifesto do nada na terra do nunca”.

Mantendo o jeito polêmico de ser Lobão pegou a metralhadora giratória e disparou. Disparou contra a semana de arte de 22, o tropicalismo, Roberto Carlos, Edu Lobo, Chico Buarque, se der mole até contra o Patati & Patatá e a Morena de “Salve Jorge”. O Lobão é o tipo de cara que se puder briga com ele mesmo. Não duvido que um dia poste no twitter mensagem se chamando de velho drogado e esclerosado.

Eu acho o Lobão um grande artista e mesmo falando algumas asneiras de vez em quando também gosto como pessoa. Gosto tanto dele que deixei de lhe seguir no twitter para não perder esse gostar. Mas também sempre digo que ele deu mole.

Deu mole porque perdeu a chance de morrer no fim dos anos oitenta e começo dos noventa. Caso isso ocorresse hoje era uma lenda como Renato Russo e Cazuza (o talento dele não deve nada a esses dois). O problema é que Lobão não morreu, envelheceu e se tornou um velho chato.

Parou de escrever as músicas que fazia tão bem e só sabe agora falar mal dos outros mostrando ser uma pessoa ressentida. Dizem que ele tentou o suicídio em 1991 após ser vaiado no Rock in Rio. Taí, teria sido uma morte gloriosa. Agora no máximo conseguirá morrer entalado em chorume e recalque ou com uma overdose de bobagens.
Mas esse blog não é de fofocas e sim de política e teve sim muitas situações políticas no que ele postou que merecem debates. Algumas concordo, outras não.

Falou mal dos Racionais MCs. Quem fala mal de Mano Brown e sua turma já ganha meu respeito imediato. Acho os racionais uma das coisas mais hipócritas que existem. Usam tênis de marca, tem jóias, cordões, relógios, super carros, casas bacanas e cantam a situação do pobre da periferia, como ela é cruel e como os jovens caem diante de um sistema que não dá oportunidades.

Se não dá oportunidades como eles enriqueceram? Enfim. 

Mas não entendi quando Lobão chamou Mano Brown de “idiota útil” e o grupo de “braço armado do PT”. O que o PT tem a ver com isso? Ele esqueceu que o PT agora é poder e eles cantando as mazelas do país de certa forma criticam o governo?  Não sei qual é a ideologia de Mano Brown e sinceramente ele e seu discurso em nada me interessam, mas me parece contra-senso.

Aliás, o Brasil é um país esquisito. Aqui deve ser o único país do mundo em que os roqueiros são de direita, conservadores. Tudo bem que o Brasil também é esquisito por ser um dos poucos países hoje do mundo que você não consegue identificar quem é de esquerda ou direita já que se misturaram. Mas os roqueiros daqui são conservadores, algumas vezes até reacionários como o caso do velho Lobo e do Roger do Ultraje a Rigor pra citar dois exemplos.

Nada contra. Cada um é livre pra ter o pensamento que quiser, só acho curioso.

Concordo com ele quando fala da Lei Rouanet e que alguns artistas tem privilégios com ela.  Concordo também que Preta Gil é uma pessoa sem talento que se fez em cima do império do pai Gilberto Gil que é um dos maiores beneficiados por essa lei.

O mais grave que Lobão disse pra mim tem nada a ver com Racionais MCs nem Mano Brown, muito menos Caetano e Gil. Mas o que disse da presidente Dilma e da ditadura militar.

Lobão já disse anteriormente que fazem muita barulheira sobre o regime militar quando só “arrancaram umas unhas”. Acho que a família do Herzog não concorda muito. Nesse livro o roqueiro escreveu um capítulo com título “Vamos assassinar a presidenta da República”. Pra mim uma grande falta de respeito com a presidenta do país seja a Dilma ou Fernando Henrique Cardoso caso fosse ele, não concordo.

No livro Lobão acusa Dilma de ter derrubado um avião e ser torturadora. Nunca em lugar nenhum ninguém falou sobre esse caso do avião e ninguém sabe de onde isso foi tirado. Torturadora? Pelo que se sabe ela que foi torturada para que entregasse nomes de companheiros de lutas.

Não sou do tipo esquerdista que divide as coisas entre mocinhos e vilões. Direita nunca foi vilã e esquerda mocinha de nada já que os dois lados implantaram ditaduras pelo mundo ao longo dos anos e acredito que a esquerda do país quisesse implantar uma ditadura aqui, não a democracia. Acho também que eles torturaram e mataram como o governo.

Assim como não soube de nenhum presidente militar ou de alto escalão que tenha enriquecido em seus governos. De esquerda que assumiram governo nessa última década temos alguns.

Mas assim como não romantizo o período acho um acinte, um escárnio alguém querer minimizar e suavizar o período de trevas em que vivemos entre 1964 e 1985. Pessoas foram torturadas, mortas, exiladas, arrancadas de casa, da família e sumiram para nunca mais voltarem e nem ganharem um enterro pelo menos. Tudo isso foi feito pelo governo vigente. Governo que é feito para proteger seus cidadãos.

Suavizar a crueldade da ditadura militar devido a luta armada da esquerda é como suavizar o nazismo porque os judeus hoje dominam boa parte do mundo e subjugam os palestinos.

Uma luta, uma guerra vira covardia quando um lado é aparelhado pelos órgãos oficiais.

Lobão chega ao cúmulo de repetir em pleno 2013 um papo que já era idiota nos anos sessenta quando a mãe dele dizia para não se afastar dela porque comunistas roubavam crianças.

Bem. Agora existe uma Comissão da Verdade (ao meu ver feita com muito atraso) e justo no dia que estourou a polêmica surgiu a notícia que exumarão o corpo de João Goulart devido a suspeitas de envenenamento.

Ok. Pra registro histórico é importante. Pra mais o que? Se Jango foi assassinado os homens que lhe mataram devem estar com 80, 90 anos de idade. Isso se não morreram. No Brasil depois de uma certa idade o criminoso não vai mais pra cadeia e esse crime, caso tenha ocorrido, já prescreveu.

A lei de Anistia feita em 1979 foi muito comemorada pela esquerda. Exilados que voltaram como o irmão do Henfil que pariu num rabo de foguete, mas só favoreceu aos militares. Uma hora ou outra eles sairiam do poder, essa data naturalmente já se aproximava e o governo fez uma lei se protegendo.

Ao contrário de países como Argentina e Chile os crimes cometidos pelos dois lados ficaram por isso mesmo. O país do jeitinho deu um jeitinho para que todos ficassem impunes e o período negro fosse varrido para debaixo do tapete.

O problema é que foram dados pontos em feridas que nunca irão cicatrizar já que não foram bem cuidadas e esses pontos sempre abrirão como no caso de Jango ou do livro do Lobão.

Em tempo. Lobão e Mano Brown já fizeram as pazes e até estão combinando tocar juntos. Nem polemicas nesse país dá pra levar a sério.


Nenhum comentário:

Postar um comentário