sexta-feira, 9 de setembro de 2016

DINASTIA: CAPÍTULO XXIV - O AMOR E O COMPROMISSO


Luigi finalmente colocou na cabeça que daquela forma estava se autodestruindo. Lembrou-se que era herdeiro de um império, que se continuasse naquele tipo de vida não conseguiria assumir o comando dos negócios da família e sossegou.

Não arrumou problemas na cadeira, transformou-se em um preso de bom comportamento, mais comedido, menos debochado e com a ajuda do avô conseguiu um novo julgamento. Sua pena passou de quinze para doze anos e em 1985 Luigi estava livre.

Ricardo mais uma vez buscava o irmão na saída de uma prisão. Os dois se abraçaram, entraram no carro e Ricardo perguntou aonde iriam daquela vez. Luigi sorriu, olhou o céu pela janela e respondeu “vamos para a praia”.

Foram até a praia de São Conrado e Luigi apenas de short deu um mergulho no mar. Um mergulho revigorante, que lavou sua alma e deixou pronto para os desafios que vinham pela frente. Saiu do mar sorrindo, olhando de novo o céu azul que tempo não podia observar e na areia uma moça se aproximou.

Ela carregava um caderno e uma caneta perguntando se ele poderia dar um autógrafo. Luigi estranhou e perguntou porque ela pedia e a moça respondeu que era sua fã desde os tempos do “ritmo quente”. Luigi riu e comentou estar surpreso dela ainda lembrar dessa época, pegou a caneta e perguntou seu nome. Renata.

Luigi deu o autógrafo, achou a moça bonita e perguntou se ela não queria beber uma água de coco. Renata se interessou, respondeu que era uma honra beber com seu ídolo e os dois foram.

Luigi com vinte e cinco anos e não querendo admitir que era homossexual viu em Renata uma oportunidade de se dar bem com uma mulher. Apresentou a moça ao irmão Ricardo e os três bateram papo por um tempo. Ricardo comentou que já estava tarde, era melhor irem embora e Luigi pediu o telefone da moça.

Trocaram telefone e Luigi prometeu ligar.

Ligou no dia seguinte. Combinaram esticada numa boate e Luigi foi buscar a moça em sua casa. Luigi esperou Renata descer de seu apartamento e ela desceu acompanhada por um rapaz.

Rapaz bonito, moreno, sorriso largo, musculoso. Luigi ficou sem graça vendo aquele homem e perguntou a Renata quem era. Renata respondeu que era seu irmão Xande e perguntou se havia algum problema dele acompanhar os dois, chegara recentemente ao Rio e não conhecia ninguém.

Constrangido Luigi respondeu que problema algum e Xande deu a mão cumprimentando Luigi. O jovem apertou a mão do irmão de Renata e rapidamente desviou o olhar pedindo que eles entrassem no carro.

Os três foram para a boate. Renata sentada à frente com Luigi e Xande no banco de trás. Renata não parava de falar enquanto Luigi olhava pelo espelho o rapaz. Xande às vezes olhava e Luigi desviava o olhar. Numa das vezes que Luigi olhou Xande sorria, como se esperando o olhar do motorista.

Chegaram na boate e encontraram Ricardo e Luisa. Ricardo bebia com uma mulher enquanto Xande se aproximou de Luisa formando três casais. Luisa era linda, trabalhava como assistente de palco de uma apresentadora infantil na televisão e sua beleza chamou atenção do rapaz.

Só que a beleza de Xande também chamava atenção de Luigi. O rapaz começou a sentir ciúmes da aproximação de sua irmã com ele e decidiu beber. Sozinho bebia uma garrafa de uísque e nem dava atenção ao que Renata falava.

Em um momento numa mistura de querer calar a boca da mulher e dizer para si mesmo que era “homem” Luigi deu um beijo em Renata. Um beijo quente, de desejo que na verdade ele sentia era por Xande.

Luigi decidiu ir ao banheiro e enquanto urinava bêbado pensava na situação que se encontrava. Com pensamento longe nem ouviu lhe cumprimentarem no mictório ao lado.

Só na segunda vez ouviu e respondeu. A pessoa ao lado disse que era muito bom vê-lo de volta, Luigi sorriu agradecendo e foi lavar as mãos. Naquele instante o homem perguntou se ele tinha algo para vender.

Luigi respondeu que não, havia parado e o homem insistiu mandando que ele parasse de conversa fiada. Já bêbado Luigi se irritou e xingou o homem que lhe empurrou perguntando quem ele era pra falar daquele modo, não passava de um “bandidinho de merda”.

Luigi empurrou de volta e o homem lhe deu um soco. Naquele instante Xande entrou no banheiro, viu o que ocorria e partiu pra cima do homem. Deu um soco lhe jogando ao chão e esmurrava o homem caído quando ouviu um clique. Olhou para trás e era Luigi apontando a arma e mandando que ele saísse da frente para resolver o problema.

Xande mandou que Luigi abaixasse a arma e não encrencasse ainda mais a sua vida. Lembrou que ele ainda era um condenado e fora libertado em condicional, não podia nem estar naquela boate bebendo. Luigi ainda ficou um tempo com a arma apontada e Xande levantou, botou a mão em seu ombro e disse em seu ouvido “guarda essa arma”.

Luigi guardou e Xande aconselhou que fossem embora da boate e não contassem aos outros o que ocorrera.

Xande e Luigi se encaminharam ao restante do grupo. Luisa brincou que eles demoraram e Xande aconselhou que fossem embora pelo lugar estar chato. Renata perguntou para onde poderiam ir e Ricardo rindo respondeu “vamos ver corrida de submarino”. Luigi disse que era melhor não, mas Renata gostou da iddia e aprovou.

Ricardo e Luisa estavam com carros então cada casal foi em um. Foram até uma praia afastada e entraram com os veículos na areia. Luigi olhava o carro ao lado, o carro de Luisa e Renata mandou o acompanhante se acalmar que a irmã já era bem grandinha e sabia o que fazer. Luigi ainda tentou disfarçar dizendo que a irmã era menor e nem era pra estar naquele carro.

Mal Renata sabia que não era com Luisa que Luigi se preocupava.

Renata ligou o rádio do carro e tocava Rita Lee. A moça disse que                                                           amava Rita e cantou ao ouvido de Luigi “Baila comigo, como se baila na tribo”.

Transaram ali mesmo no carro ao som de “me pega de quatro no ato, me enche de amor”.

No fim Luigi levou Renata até sua casa assim como Luisa levou Xande. Os quatro desceram do carro e Luigi cumprimentou Xande assim como Renata a Luisa. No fim Luisa beijou Xande na boca e Renata puxou Luigi e disse rindo “irmão ciumento” beijando o rapaz.

Os dois subiram, Luisa olhou para Luigi que lhe reprovava e falou “nem começa” entrando no carro.

Luigi chegou na mansão e encontrou Ricardo bebendo na sala. Perguntou pelo avô e Ricardo respondeu que não acordara ainda. Luigi encheu um copo de uísque e Ricardo perguntou se ele já não bebera demais.

Luigi perguntou desde quando o irmão lhe controlava e Ricardo devolveu perguntando desde quando o irmão mostrava ciúme em público. Luigi sentou e riu que todo mundo cismara que ele estava com ciúmes de Luisa e Ricardo respondeu que sabia que não era dela, era de Xande que ele tinha ciúmes.

Luigi imediatamente tirou o riso do rosto e perguntou ao irmão que história era aquela. Ricardo respondeu que só tinha cara de idiota, mas deixara de ser a tempo, desde que o irmão decidiu brincar de polícia e ladrão e ele foi obrigado a trabalhar com o avô.

Luigi perguntou se era aquilo, ele queria o comando da família como tio Benito e desafiar o avô e o mais herdeiro mais velho.

Ricardo respondeu que era justamente o contrário. Ele não queria o comando dos negócios, estava de saco cheio de trabalhar com o avô e queria que Luigi assumisse logo seu lugar de “príncipe herdeiro”. Luigi perguntou por que então o irmão estava com aquele tom.

Ricardo encheu seu copo com uísque e perguntou a Luigi se ele sabia o que o avô faria se descobrisse que ele era “bicha”. Luigi respondeu que não era gay e Ricardo continuou falando, disse que Pepe lhe expulsaria de casa, deserdaria e ele, Ricardo Granata, teria que assumir jogo do bicho, coisa que ele odiava.

Chegou em frente a Luigi, bebeu um gole do uísque e rindo comentou “você me obrigou a gostar de bebida, não me faça te obrigar a ser homem. Você já tem uma mulher que gosta de você, namore com ela”.

Ricardo foi à direção das escadas para subir e Luigi gritou que não era gay. Sem olhar o irmão Ricardo começou a subir e disse “fale mais alto, quem sabe assim não consiga se convencer”.

Luigi vivia o conflito interior de não querer assumir o que já era nítido. Era gay e apaixonado por Xande. Pediu Renata em namoro e emendaram um namoro sério, com vistas para casamento.

Luisa não levou adiante seu caso com Xande terminando com o rapaz dizendo ser sua prioridade a carreira. Luisa fazia sucesso no programa infantil e quando fez dezoito anos deixou o programa e fechou um contrato milionário para posar nua.

A notícia causou um grande alvoroço na família Granata. Pepe furioso reuniu a família e ordenou que Luisa desfizesse o contrato. A moça bem calma respondeu que não tinha como, pois, a multa era alta. Pepe gritou que dinheiro para ele não era problema, pagava a multa.

Luisa respondeu que tinha outro problema, ela queria posar e não iria desfazer o contrato. Pepe irritado mandou que Isabela fizesse alguma coisa e a mulher respondeu que Luisa era maior de idade, não poderia fazer nada e nem sua filha ela era. Luigi apenas ria e Pepe perguntou qual era o motivo da risada. Luigi respondeu que já imaginava a manchete da revista “Luisa com a Granata de fora”.

Luisa gargalhou e Pepe furioso gritou que exigia respeito. Luisa pediu calma ao avô e que aquele era um trabalho normal. Pepe apontou o dedo para a neta e gritou que se ela posasse nua não era mais de sua família e poderia arrumar suas coisas para ir embora.

Luisa olhou séria para o avô e respondeu que então partiria porque nem ele, nem Jesus Cristo poderiam fazer nada para impedir a publicação da revista. Desgostoso Pepe mandou que ela não colocasse o nome de Jesus no meio que receberia um grande castigo. Luisa respondeu que Cristo tinha coisas mais sérias pra se preocupar que com ela pelada.

Luisa foi embora e posou. Na noite de lançamento Luigi foi o único da família Granata que compareceu. Enfrentou a fila de autógrafos junto com Renata e Xande e quando chegou sua vez Luisa abriu um sorriso dizendo “sabia que você vinha” dando-lhe um forte abraço.

Perguntou ao irmão aonde ele queria o autógrafo e Luigi respondeu “na capa porque no pôster central seria constrangedor demais”.

Luisa riu e assinou “para o meu amado e especial irmão um beijo de Luisa Granata”. Luigi agradeceu e perguntou como a irmã estava. Luisa respondeu que bem, comprara uma casa com o dinheiro da revista. Luigi beijou as mãos da irmã e contou que estaria sempre por perto quando ela precisasse. Luisa agradeceu emocionada respondendo que sabia disso e rindo Luigi comentou que era melhor se despedir porque a fila estava longa.

Luigi trabalhava com o avô e Ricardo, que mesmo não gostando era obrigado a continuar no bicho auxiliando Luigi. As “Casas Granata” com mais de cem lojas espalhadas pelo Brasil eram comandadas por executivos contratados por Pepe e naquela mesma ocasião surgiu o “Granata Shopping” na região de Feital. Um shopping center com seis andares, centenas de lojas e que enriqueceu mais ainda a família.

Luigi continuava o namoro com Renata e apaixonado por Xande. Lutava contra seus sentimentos, não podia se admitir gay e ainda recebia pressão de Ricardo para que apressasse o casamento e construísse logo sua família.

Pertencendo a uma família que há anos comandava a prefeitura de Feital elegendo prefeitos e algumas vezes o próprio Pepe Granata deputado estadual Luigi sonhou alto e decidiu que seria deputado federal. O Brasil vivia um momento da volta da democracia. Finalmente era governado por um presidente civil e elegeria deputados federais e senadores para compor a nova assembléia constituinte nas eleições de 1986.

Apesar de serem uma família controversa os Granata sempre deram grande apoio a políticos e juízes. Recebiam beija mão dos vários “afilhados” a quem ajudaram chegar ao poder e com isso ocorreu apoio maciço de políticos a sua campanha.

A família Granata sempre teve o amor e a devoção do povo de Feital graças ao assistencialismo e Luigi investiu forte. Deu camisas de clube de futebol, dentaduras, cadeira de rodas, colocou kombis a disposição da população para que levasse até as zonas eleitorais, mas mesmo assim não conseguiu se  eleger ficando como suplente.

Mas a vida continuou, sem se importar muito com a derrota prosseguiu trabalhando ao lado do avô. Um dia Renata procurou Luigi preocupada. O rapaz perguntou qual era o problema e a moça respondeu que sua menstruação atrasara, eram cinco dias de atraso. Luigi perguntou se era normal e Renata respondeu que não, sempre fora regrada e além de tudo andava enjoada.

Luigi se preocupou e abraçou a namorada dizendo que estaria ao seu lado em todos os momentos. Passaram juntos por aquele período e nada da menstruação descer. Renata decidiu fazer exame e ali foi confirmada a gravidez.

Renata chorou e Luigi lhe abraçou comentando que não era motivo para desespero, iriam juntos resolver o problema. A moça cogitou abortar e o rapaz respondeu que tudo menos isso, pensariam em uma solução melhor.

Luigi foi para casa e sentou-se no jardim pensando no assunto. Ricardo aproximou-se e disse “parabéns papai”. Luigi se assustou e perguntou como o irmão sabia. Ricardo respondeu que estava saindo com uma das melhores amigas de Renata que comentou com ele.

Luigi suspirou fundo e respondeu que era verdade, Renata estava                                                             grávida e Ricardo comentou que era a hora do irmão casar. Luigi olhou o irmão sem entender e Ricardo completou “case com a moça, acabe de vez com essa história de homossexualidade na sua vida e construa sua família, o futuro dos Granata”.

Ricardo saiu e Luigi ficou pensando no assunto. O rapaz decidiu ir até a casa de Renata. Pegou o carro mesmo debaixo de chuva e foi até o apartamento da moça. Tocou diversas vezes a campainha do apartamento e ela atendeu. Renata perguntou o motivo daquele desespero e dele sair de casa daquela forma, na chuva. Luigi sorrindo perguntou se ela queria casar com ele.

Renata sorriu de felicidade e abraçou Luigi gritando que era tudo o que ela sonhava.

Era a terceira geração consecutiva da família que o mais velho casava devido à gravidez da futura esposa. Pela terceira geração consecutiva a noiva subia grávida ao altar, mas mais curioso ainda é o fato das três situações serem diferentes.

Pepe Granata ficou feliz com o casamento e a gravidez. Fez uma festa aos noivos comentando que aquele herdeiro seria o comandante da família na virada do milênio, os cem anos dos Granata no Brasil. Ricardo desejou felicidades ao irmão, abraçou e disse em seu ouvido “crie o seu filho e crie juízo”.

Mas não era fácil para Luigi sufocar aquele sentimento. Na festa ele só tinha olhos para Xande.

Devido a gravidez Pepe decidiu acelerar a cerimônia. O casamento foi marcado para o mês seguinte e tudo foi bem acelerado. Luigi decidiu não fazer despedida de solteiro, preferiu descansar.

Na noite anterior ao casamento todos dormiam e Luigi sentado na sala seguia a tradição da família ouvindo sozinho música italiana na vitrola e como o pai gostava ouvia Pepino di Capri. Ouvia a música “champanhe”

De repente tocaram a campainha. Luigi olhou o relógio e estranhou alguém na residência naquele adiantado de hora. Abriu a porta e deu de cara com Xande.

Perguntou ao homem se algo ocorrera, se Renata estava bem e Xande mandou que Luigi calasse a boca. Pegou seu rosto e beijou sua boca.

Um beijo apaixonado, o primeiro beijo apaixonado da vida de Luigi que naquele instante parava de lutar contra seus sentimentos, sobre o que era. Aproveitou a música de Pepino di Capri e fez amor com Xande ali na sala.

No dia seguinte arrumava seu terno quando Ricardo entrou no quarto. Olhou o irmão se ajeitando frente ao espelho e deu um beijo em seu rosto dizendo ter orgulho dele. Saiu do quarto e Luigi que sempre foi tão esperto, tão irônico deixou uma lágrima cair pela face.

Casou-se com Renata como todos esperavam e enquanto ouviam o padre não conseguia tirar os olhos de Xande e nem Xande dele.

Na hora dos cumprimentos Xande beijou sua irmã e abraçou o cunhado dizendo em seu ouvido “eu te amo” ouvindo a resposta de Luigi “eu também”.

Alguns meses depois, no começo de 1987, nasceu o filho de Luigi e Renata Granata, nasceu Francisco Granata.

Eu nasci.


CAPÍTULO ANTERIOR:

O COMANDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário