sexta-feira, 23 de setembro de 2016

DINASTIA: CAPÍTULO XXV - PODEROSO CHEFÃO


Renata trocava fraldas do bebê do casal, no caso eu..Constrangedor escrever isso..E Luigi observava encantado. A mulher perguntou se Luigi queria ajudar e ele respondeu que não, tinha medo de “quebrar o bebê”. Renata riu e respondeu que bebês não quebravam tão fácil assim.

Isabela surgiu no quarto para paparicar o neto. Pegou no colo e brincando comigo disse que eu parecia com meu avô Pepino. Luigi sorriu e comentou que a mãe devia sentir muita falta do pai. Isabela me devolveu a Renata, olhou pela janela, suspirou e respondeu “aquele cretino foi o amor de minha vida, pena que não fui o dele”.

Isabela lembrou-se que foi até o quarto porque Pepe pedira, queria conversar com o neto. Luigi se encaminhou ao escritório deixando as duas no quarto.

Bateu na porta do escritório e Pepe mandou que entrasse. Luigi entrou e encontrou o irmão Ricardo junto ao avô. Perguntou se o avô chamara e Pepe mandou que o neto sentasse.

Pepe preparou um copo de uísque para Luigi. Ele e Ricardo já bebiam. Preocupado Luigi perguntou o que ocorria.

O homem olhou um quadro que tinha no escritório de Salvatore Granata e comentou “grande homem, quem iniciou tudo”. Olhou para os netos e contou que já passava dos setenta e cinco anos, estava velho, cansado e queria aproveitar os últimos anos de vida.

Ricardo discordou alegando que o avô estava bem de saúde e tinha o corpo fechado. Pepe respondeu que mesmo um corpo fechado perece.

Olhou para um quadro que tinha foto de Pepino e Benito e comentou “uma vez tentei fazer isso e errei, espero não fazer o mesmo, que vocês não me decepcionem”. Olhou para Luigi e contou que a partir daquele dia ele assumia os negócios da família.

Ricardo sentado ao lado de Luigi sorriu e deu tapinha em seu ombro dizendo “parabéns mano”. Pepe feliz falou que aquela reação que esperava e Luigi assustado perguntou se o avô tinha certeza, não se sentia preparado.

Pepe respondeu que estava, desde que saiu da cadeia trabalhava com ele, aprendeu todo o ofício e criara juízo, construíra sua família. Ergueu o copo e propôs um brinde ao futuro da família Granata. Os três homens brindaram.

De noite Renata dormia e Luigi olhava para o berço onde eu também dormia. Olhava em silêncio e em um momento comentou “é meu filho, hoje sou eu, amanhã você. É a nossa saga, ou sina, não sei”. Fez um carinho em minha cabeça e o telefone tocou. Atendeu, era Xande.

Ao telefone Luigi contou as novidades e falou que precisava ver o amante. Marcaram no apartamento que Luigi alugara para seus encontros.

Enquanto se vestiam para irem embora Luigi contou a Xande que o homem trabalharia com ele na organização. Xande riu e respondeu que nada entendia de jogo do bicho. Luigi fez um carinho no
amante e contou que ensinaria.

Xande virou-se e perguntou se aquilo era sério. Luigi colocou a blusa e respondeu que sim, era o único que confiava. Xande perguntou por Ricardo e Luigi respondeu que o irmão era ambíguo, não sabia nunca o que passava por sua cabeça.

Xande levantou e perguntou se era tão importante assim para ele e Luigi respondeu que sim. Xande fez um carinho no rosto do amante e contou que aceitava. Luigi no ato lhe abraçou agradecendo.

Luigi contou a todos na mansão que Xande também lhe auxiliaria e Renata agradeceu a força dada ao irmão que há tempos estava desempregado. Pepe respondeu que não via problemas e lembrou de sua amizade com Zaqueu enquanto Ricardo ouvia tudo em silêncio.

Quando os dois ficaram sozinhos Ricardo se aproximou de Luigi. Com os dentes cerrados apontou o dedo ao irmão e sabia o que ele tramava. Luigi desconversou e disse não saber do que se tratava. Ricardo tenso virou-se dando as costas ao irmão e desvirou falando para ele “você está tendo um caso com o Xande, sua bicha”. Furioso Luigi encostou Ricardo na parede, colocou o braço em seu pescoço e mandou o irmão repetir.

Ricardo mesmo sufocado respondeu que não tinha medo do irmão, aprendera isso com ele e Luigi soltou Ricardo perguntando qual era a dele. Ricardo respondeu preservar a família, principalmente de escândalos como o maior banqueiro de bicho do país, herdeiro do sobrenome ser bicha.

Luigi comentou que largava a posição por ele e Ricardo respondeu que não queria completando “não me atrapalhe que eu farei de você o homem mais poderoso desse país”.

Luigi comentou “você quer o poder, mas não quer se expor, cômodo isso” e Ricardo retrucou “seja discreto no seu caso, não destrua essa família”.

Luigi assumiu de fato e de direito os negócios da família auxiliado por Ricardo e Xande, mas resolveu diversificar.

Voltou ao tráfico de drogas, mas deixou de ser varejista. Não vendia diretamente ao consumidor. Arrumou contatos na Colômbia, na Bolívia e comprava a droga diretamente dos cartéis. Trazia ao Rio de Janeiro e abastecia os morros cariocas. Isso fez rapidamente multiplicar a fortuna dos Granata fazendo tudo sem o conhecimento de Pepe que nunca aprovou a mistura de seus negócios com drogas.

Tornou a já vencedora Acadêmicos de Feital uma escola mais popular abrindo suas portas para a sociedade carioca. Tirou a quadra da escola do morro fazendo uma enorme e luxuosa quadra no asfalto. Graças a algumas amizades que fizeram a ponte encheu a escola de samba de artistas e celebridades tornando-se o grande point no verão do fim de 1987.

No desfile da escola veio na frente da agremiação junto com outros artistas e homens poderosos da comunicação do país. Seu camarote era um dos maiores da Marquês de Sapucaí contendo atores, cantores, jogadores de futebol, empresários onde eram servidas cascatas de camarão e uísque a vontade.

 A escola não foi campeã do carnaval que acabou vencido pela Unidos de Vila Isabel. Mas Luigi estava bem satisfeito. A vaidade voltava com força ao homem que era novamente celebridade.

O vento parecia soprar a favor de Luigi. Uma manhã o homem dormia ao lado de Renata quando a empregada bateu na porta desesperada chamando por Luigi. Ele levantou, colocou o roupão e atendeu perguntando o que ocorria, se a casa pegava fogo. A mulher respondeu que o avô queria falar com ele.

Luigi perguntou se era tão grave, necessitava de todo aquele desespero e a empregada respondeu que se “pelava” de medo de Pepe e sempre que ele mandava uma ordem corria para cumprir. A mulher completou “ele fez pacto com o coisa ruim, tem corpo fechado. O pastor da minha igreja disse que ele tem um diabinho numa garrafa escondido dentro do escritório, morro de medo de limpar lá”.

Luigi riu, respondeu que ela tinha razão em ter medo e foi encontrar o avô. Entrando no escritório perguntou o que ocorria e Pepe já lhe esperava com um copo de uísque na mão. Entregou ao neto dizendo que o deputado Feliciano Romão morrera, teve um enfarte fulminante em um hotel com um travesti. Luigi sentiu-se abalado com a notícia, lamentou pelo deputado e perguntou o motivo da alegria, Pepe respondeu “você é o suplente, assumirá sua vaga no congresso”. Os dois brindaram ao novo deputado constituinte.

Luigi tomou posse, nomeou Xande assessor parlamentar e deu grande festa no apartamento em Brasília rodeado de gente famosa e drogas. Dividia seu tempo entre Brasília e os negócios no Rio de Janeiro. Vivia a vida de celebridade que sempre gostou.

Uma noite bebia com Xande e amigos em um bar no Rio de Janeiro e Xande insistia que ele fosse para casa ficar com Renata. Luigi já estava muito bêbado e cada vez enchia mais o copo não se importando com o que o amante falava.

Do nada Renata chegou e comentou que tinha certeza que o marido estaria naquele bar. Luigi sorriu e mandou que a esposa sentasse e se juntasse a eles. Renata séria respondeu que não, estava ali para buscá-lo, pois, eu estava com febre e lugar do pai era ao lado do filho.

Luigi ironizou que não era médico e Renata respondeu que iria ao banheiro e quando voltasse os dois iriam embora. Renata foi e Luigi continuou bebendo e rindo. Xande aconselhou “vai com ela”. Luigi parecia não dar ouvidos e nem atenção a Renata que saiu do banheiro e se encaminhava à mesa.

Antes de chegar um homem puxou sua mão e perguntou “vai aonde com essa pressa gatinha?”. Renata irritada tirou a mão e o homem insistiu “espera, vamos conversar”.

Renata virou para ele e disse “me respeite, sou uma mulher casada”, o homem riu e comentou “tudo bem, não sou ciumento” pegando Renata pela cintura.

Só ali Luigi percebeu o que ocorria e levantou-se trôpego perguntando a Renata se acontecia algum problema. O homem rindo mandou que ele bebesse mais cachaça e não atrapalhasse e Luigi completou “solta a minha mulher”.

Folgado o homem disse “vem buscar”. Luigi foi e tomou um soco no rosto. Caiu no chão e os amigos dele partiram pra cima do homem. Xande se meteu no meio gritando pra ninguém fazer nada que prejudicaria a imagem de Luigi.

Xande empurrou Luigi, Renata e os amigos para longe e deu um dinheiro para o garçom mandando que ele ficasse com o troco.

Foram embora do bar com o homem gargalhando e gritando para Renata que se ela quisesse um homem de verdade era só voltar ao bar.

Todos se encaminharam a seus carros e Renata mandou Luigi sentar no banco de carona, pois, não estava em condições de dirigir. Luigi abriu a porta, mas em vez de sentar-se no banco colocou a mão embaixo do mesmo tirando uma pistola e voltando ao bar.

Renata na hora não percebeu e só viu quando Luigi já estava no meio do caminho. Gritou por Xande que saiu de seu carro e correu atrás de Luigi. Luigi voltou ao bar, encontrou o homem bebendo um chopp com um amigo e disse “Queria tanto minha mulher, vou te apresentar minha amante”.

Deu um tiro acertando o amigo do homem. O público do bar se aterrorizou gritando e correndo. O homem correu, Luigi foi atrás, mas antes que atirasse de novo Xande lhe alcançou, desarmou e levou embora do bar.

Xande levou Luigi até o apartamento, deu um banho gelado no amante e colocou deitado. Ligou para Renata e contou que estava com ele em lugar seguro. Na manhã seguinte tirou Luigi da cidade.

O homem que provocara Luigi no bar era filho de um desembargador e seu amigo não morreu, mas foi obrigado a passar por uma cirurgia delicadíssima de mais de dez horas. O fato virou um grande escândalo no país, manchete de todos os jornais que lembraram que além de Luigi Granata ser deputado federal era banqueiro de jogo do bicho e antes fora condenado por tráfico de drogas e assaltos.

Por todo o Brasil a sociedade se perguntava como um homem condenado pela justiça e foi colocado no meio da pena em liberdade, era assumidamente banqueiro do bicho, uma contravenção penal e além de não ter sua condicional cassada ainda conseguira tomar posse como deputado federal. Luigi, como sempre gostou, era a principal notícia do momento. Mas naquele instante totalmente negativa.

Luigi e Xande se esconderam no interior de São Paulo em um hotel por dez dias e ali aproveitaram para no meio de toda aquela tensão viverem momentos de amor, como uma lua de mel. Luigi não parecia se importar com o mundo a sua volta caindo já que finalmente podia estar sozinho com o homem que amava.

Um dia estavam no quarto quando bateram na porta. Luigi em cima da cama de cueca comia uma tangerina quando Xande levantou para atender, nos mesmos trajes pensando ser a arrumadeira.

Quando abriu deu de cara com Ricardo que nem deixou Xande falar nada. Entrou e mandou Luigi se vestir porque iriam embora. Xande tentou argumentar e irritado Ricardo disse para ele “cala a boca viado”.

Luigi furioso levantou e foi de encontro ao irmão perguntando quem ele pensava que era. Ricardo também levantou o tom de voz perguntando “seu merda, você sabia que o cara que você acertou ficou tetraplégico?” Luigi nada disse e Ricardo continuou “o mundo acabando lá fora, o nome da família na lama e você vivendo seu amor bicha como se vocês fossem a Maria de Fátima e o César da novela”.

Xande partiu pra cima de Ricardo que sacou um revolver e encostou no queixo do amante do irmão dizendo “cara, eu to muito puto hoje. Meu avô me fez viajar até a merda dessa cidade atrás desse viado, pra eu matar alguém hoje ta muito fácil”.

Luigi colocando a roupa ironizou “é, aprendeu a beber, aprendeu a matar, cada dia você me surpreende mais maninho” Ricardo devolveu “aprendi até a escrever o que idiota tem que dizer pra imprensa quando atira nos outros bêbado, vamos embora logo”.

Luigi fugiu do flagrante então não poderia ser preso por possuir imunidade parlamentar. Ricardo convocou uma entrevista coletiva e todos os órgãos de imprensa estavam presentes. Luigi entrou na sala conduzido por advogados e ocorreu um disparo de flashes em sua direção.

Luigi era uma mistura de medo e excitação por toda a mídia estar interessada no que ele teria a dizer.

Luigi de óculos escuros sentou e recebeu uma saraivada de perguntas. Tranquilo o deputado contou toda a história e que não deixaria o rapaz atingido sem assistência.

Fez um acordo com a família do baleado e pagou todo o tratamento além de uma pensão mensal para os cuidados que precisaria pelo resto da vida. No meio daquele turbilhão de emoções Luisa ligou para Luigi comentando que precisavam conversar. Marcaram um almoço.

Luisa perguntou como o irmão estava e Luigi respondeu que virara o inimigo número 1 do país, mas até achava aquilo engraçado. Tentou atirar no filho de um desembargador, acertou seu amigo e o tal desembargador agora queria seu fígado com fritas e molho rose. A irmã comentou que ele tinha imunidade parlamentar, mas Luigi respondeu que a comissão de ética da câmara iria avaliar uma possível cassação sua por falta de decoro.

Luisa atendeu alguns fãs que se aproximavam dela pedindo autógrafo e torciam o nariz ao ver Luigi. Quando conseguiram ficar a sós Luigi comentou que achara a irmã abatida, perguntando o que ocorria.

Luisa abaixou os olhos e comentou que o irmão sempre sabia como ela estava. Luigi pegou sua mão e perguntou novamente qual era o problema. Luisa com lágrimas nos olhos respondeu que fizera exames de rotina e viram alteração na sua contagem de glóbulos brancos, fez exames mais detalhados e descobriu estar com leucemia.

Luigi na hora fechou os olhos e comentou “que merda”. Luisa pediu desculpas por procurar o irmão daquela forma, mas não tinha mais ninguém no mundo, precisava da família.

Começou a chorar e Luigi lhe abraçou dizendo que sempre estaria ao seu lado.

Luigi voltou para a mansão e encontrou Pepe bebendo na sala.

O avô convidou Luigi a juntar-se a ele, mas Luigi respondeu que tudo que precisava naquele momento era um banho demorado. Pepe mandou o neto se acalmar que tudo daria certo e o rapaz contou que esteve com Luisa.

Pepe disse que não conhecia nenhuma Luisa então Luigi respondeu que devia conhecê-la, pois era uma menina linda, cativante, inteligente e precisava de ajuda, por estar com leucemia.

Pepe nada respondeu, ficou em silêncio e Luigi deu boa noite subindo as escadas.

E Pepe ficou ali sozinho com seus fantasmas.


CAPÍTULO ANTERIOR:

O AMOR E O COMPROMISSO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário