segunda-feira, 7 de outubro de 2013

CAIU NA REDE É MARINA




Escrevo essa coluna no sábado quanto a Marina Silva decidiu ingressar no PSB e apoiar Eduardo Campos em sua busca pela presidência da República, ainda tentando entender seu ato.

Marina foi a noiva mais cobiçada do país nos últimos dias. Foi cobiçada por PSB, PPS, PR, PEN, PDT, PQP, Vasco, Flamengo, Corinthians e Barcelona de Madri, mas acabou assinando com o PSB.

Por quê? Como eu disse, não sei. Marina foi terceira colocada nas eleições presidenciais de 2010 com 19 milhões de votos. Ok, terceiro lugar em eleição presidencial no Brasil é como acabar em quinto no brasileirão, serve pra nada.  Só lembrarmos que Anthony Garotinho e Enéas também ficaram em terceiro em pleitos anteriores.

Mas são 19 milhões de votos, algo que lhe colocaria como forte candidata. Mais que o Aécio, por exemplo, que nunca foi testado em eleição nacional. Mas me parece que a ex-senadora fez tudo errado.

Partiu para criar um partido, chamando de REDE, mas não conseguiu em tempo hábil sua inscrição para as eleições de 2014. Diz que foi perseguida, mas dois outros partidos conseguiram suas inscrições. Começaram a batalhar antes, Marina Silva deixou tudo pra última hora e deu no que deu.

Ela e seus seguidores reclamam de morosidade, burocracia, das leis. Curioso isso porque as pessoas que reclamam do país de hoje, que foram as ruas em junho foram justamente por um país mais justo, onde as leis fossem cumpridas. Querem jeitinho agora pra Marina?  

Leis, aliás, que beneficiaram os acusados do mensalão. Embargo infringente que é previsto em lei, que é justo porque da chance a quem foi condenado por pouco em recorrer e tentar mudar seu destino, mas provocou algazarra.

Não estou defendendo mensaleiros, quero cadeia pra eles, mas quero principalmente que não só eles, mas todos tenham direito ao máximo de defesa. Que se cumpra a lei em tudo nesse país, não só quando convém.

Ainda mensalão e Marina Silva. Impressionante como brasileiro tem opinião pra tudo, até eu me incluo já que estou escrevendo sobre isso. Todo mundo condena os mensaleiros e reclama dos embargos sem nem saber do que falam, mesma coisa agora em relação ao partido da Marina.

Pois bem. O partido não foi aprovado e ela teve que definir seu futuro. Com tantas opções o que ela fez? Foi pro PSB que até outro dia fazia parte da base do governo e saiu para lançar Eduardo Campos à presidência.

Aí você faz a pergunta que quase todo país faz, quem é Eduardo Campos?

Governador de Pernambuco que parece fazer um bom governo lá tal qual um certo governador de Alagoas nos anos 80, mas não vamos entrar no mérito porque pode ser injusto com Campos.

Acontece que pouca gente conhece o governador, apesar de quem conhece falar bem e vê-lo como potencial candidato a presidente, mas em 2018. A próxima eleição seria mais para que ele marcasse nome.

Mas mesmo com tudo isso Marina aceitou ir para seu partido ser vice de Eduardo Campos. Como assim? A mais conhecida, que já largaria virtualmente com 19 milhões de votos, vice de um desconhecido? E outra, será uma chapa “Puro sangue”? Sem alianças? Isso inviabiliza a candidatura que ficaria com pouquíssimo tempo de TV e caso vencesse como seria? Teria que fazer alianças senão não governa. Ainda tem gente ingênua que acha que dá pra governar sem alianças?

A Marina parece ingênua, pura, humilde em atos, forma de se comportar, mas acreditem, não tem virgem nesse puteiro. Marina tem ligações com pessoas que representam o atraso desse país como Feliciano e Malafaia. Uniu-se a um desconhecido que para nós cariocas acende o sinal amarelo porque o senhor Eduardo Campos foi um dos que tentaram derrotar o Rio de Janeiro na questão dos royaltes.

Com essa união a oposição perde um nome restando apenas a dupla e Aécio Neves. Aécio que será o candidato de um PSDB em péssima fase, perdido e que parece perder aliados a cada dia. Alguns até poderosos que parecem embarcar no sonho de conduzir a dupla ao planalto.

Quem eu acho que ganha com tudo isso? Dilma. Sim, a presidente que terá um adversário a menos e parece recuperar sua popularidade. A impressão dada é que o pior já passou e a presidente se saiu bem das manifestações de junho.

Acredito na sua reeleição e em primeiro turno. Com apenas três candidatos, dois de oposição dividindo votos e os votos de Marina diluídos em Dilma, Eduardo e Aécio acho que a missão fica facilitada. Sim, diluídos, porque o eleitor brasileiro costuma ser fiel a partidos, não nomes e não será obrigatório ao eleitor da Marina migrar pro Eduardo Campos.

 Caiu na rede é Marina. Mas acho que a Dilma que levará a pesca.

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário