sábado, 22 de junho de 2013

A REVOLTA DO VINAGRE


*Coluna publicada no blog Brasil Decide em 16/6/2013

E parece que o povo quer acordar..Depois de mais de quinhentos anos de desmandos, chacotas, deboches, humilhações e maus tratos parece que, ainda sonolento,  o povo acorda.

Evidente que ao longo da história o povo brasileiro reagiu, confrontou. Temos em livros de histórias casos como a “Inconfidência mineira”, “Conjuração baiana”, “Os 12 do forte”, “Guerra dos farrapos”, “Revolta da chibata”, “Revolta da vacina” “Revolução constitucionalista de 32”, “Canudos” entre tantas outras.

Recentemente tivemos as manifestações das Diretas Já e o pedido de impeachment contra o presidente Fernando Collor, mas não é o normal, não é comum de um povo tão passivo que fez sua história através de acordos e interesses.

Infelizmente não dá pra confiar muito na história de um povo que teve pouco derramamento de sangue e muitas assinaturas em palácios. Dessa forma não se cria o orgulho pelo chão nem a defesa pela terra.

Normalmente através da história sabemos que quem muda alguma coisa na sociedade é a classe média aliada aos estudantes. Os ricos não querem mudanças por estarem satisfeitos com o mundo em que vivem e os mais pobres estão mais preocupados em não morrer de fome. Cabe a classe média, termômetro de uma sociedade agir junto aos estudantes que ainda tem o frescor do ideal de mudanças para transformar algo.

E isso ocorreu pelo país na última semana capitaneado por São Paulo (cidade que sempre está na vanguarda). Como em todo movimento popular legítimo e apartidário a coisa começou aos poucos e foi crescendo dada a importância. Muitas vezes esse crescimento vem também graças a burrice dos que governam que subestimam os manifestos e acabam gerando a união da população em torno da causa.

Começou como manifesto contra o aumento das passagens de ônibus em vinte centavos. Fecharam as principais vias urbanas da capital paulista atrapalhando o tráfego e a volta pra casa dos paulistanos. Protestos de verdade nunca foram com hora marcada e local que não atrapalhe. Encontraram resistência de parte da população que não conseguiu chegar cedo em casa, como se conseguissem chegar algum dia com o trânsito da capital.

A coisa foi aumentando e boa parte da população desconfiada perguntou porque aquilo tudo devido a um aumento de apenas vinte centavos, ainda mais por ser um aumento que não doeria no bolso da maioria daqueles manifestantes. Só que vinte centavos pra ir, vinte pra voltar dá quarenta por dia. Em um mês pra quem ganha salário mínimo e tem família pra sustentar é muito. Alguns vândalos estavam no meio dos que protestavam pacificamente danificaram partes da cidade o que aumentou a polêmica.

Vândalos existem em qualquer lugar que tenha uma aglomeração. Desde uma manifestação contra aumento da tarifa dos ônibus quanto jogo de futebol, escola de samba, qualquer tipo de situação onde existam pessoas tão diferentes entre si. Mas atos de vandalismo não expressam a opinião e a vontade de uma maioria que, evidente, não foi para a rua lutar apenas por vinte centavos.

Apesar disso ser legítimo já que manifestações de protestos começaram na Turquia porque cortaram árvores de uma praça.

Acontece que a situação dos vinte centavos é a ponta de um iceberg construído por corrupção, desemprego, falta de segurança, de saúde decente, desmandos e uma copa do mundo que sim, é importante para o país, mas não pode ser mais importante que escolas, hospitais e muito dinheiro foi destinado a ela para construção de estádios superfaturados e situações no mínimo desconfortáveis para o Brasil.

Como eu disse, todo tipo de protesto ganha mais chance de crescer e realmente incomodar quando os governantes agem com burrice e foi isso que aconteceu. O governo de São Paulo não soube lidar com o problema que estava a sua frente e perdeu a cabeça. A polícia, sempre ela, exagerou na hora do confronto batendo, prendendo sem motivos, dando tiros de borracha que para seu azar acertaram jornalistas e prendendo os mesmos apenas porque carregavam vinagre.

Outro passo para criar problemas e uma mudança ocorrer na sociedade é o sistema perder a grande mídia. Boa parte dela que chamava os manifestantes de vândalos e arruaceiros mudou de opinião e já deixou bem claro que a polícia incentivou o confronto e foi covarde. Isso ocorreu porque além de ter sido atingida a grande mídia não reina mais absoluta. Hoje existe a internet, as redes sociais que não precisam de Globo, Folha, Estadão, Veja, etc para mostrar a realidade, a verdade.    

Hoje é muito mais difícil manipular, transformar o povo em gado quando a verdade muitas vezes está na ponta de um mouse. Verdades como mostrar que a própria polícia quebrou vidro de uma patamo para jogar a culpa nos manifestantes.

De uma certa forma lembrou o caso da bomba do RioCentro em 1981 quando militares queriam provocar um atentado no show do dia do trabalhador jogando a culpa na esquerda e a bomba explodiu em seu colo.

Os governos e isso não é “mérito” apenas do PT, mas de todos os políticos, odeia povo que tem pensamento próprio. Adora usar esse mesmo povo nas manifestações a favor como lutar por dinheiro do petróleo ou protestos silenciosos e com hora marcada como as passeatas pela paz na praia de Copacabana com todo mundo em silêncio, vestindo branco e fazendo pombinhas com as mãos.

Mas odeia quando esse gado se volta contra. Começa a falar besteiras como o governador do Rio que disse que eram manifestações partidárias. Eu queria sinceramente que ele me explicasse como e favoráveis a quem já que São Paulo é governada pela oposição e Rio e Rio Grande do Sul pela situação, só para ficar nos lugares de maiores protestos. 

A voz rouca das ruas começa a ganhar forças. Assim que começa uma onda de mudanças como várias que vimos pelo mundo árabe nos últimos anos. O que começou com meia dúzia de jovens em São Paulo chegou a outras cidades e ganhou o mundo.

Não estamos mais na época da ditadura onde informações eram cerceadas, apesar da PM agir como na época e cometer atos como jogar spray de pimenta na cara dos outros, a sociedade hoje é outra. A briga não é mais por vinte centavos, é por cidadania, a verdadeira briga, a briga que sempre pode ser vencida.

Uma luta que está longe de ser vencida, mas que pelo menos não é a bobagem de “petição on line” que foi tão celebrada e não conseguiu derrubar Renan Calheiros nem Marcos Feliciano. Petição on line é a revolução a favor e revoluções a favor não existem.

Para provocar mudanças, para fazer pensar não dá pra ser limpinho, não dá pra ser em silêncio, com hora marcada, deixando tudo bonitinho e agradando governantes.

Pra provocar mudanças tem que tem tempero, tem que ter molho.

Nem que seja vinagre.





Nenhum comentário:

Postar um comentário