quarta-feira, 1 de julho de 2015

LÉO MOURA E O FUTEBOL DE HOJE




Fez cagada..

Essa é a expressão que mais temos ouvido por aí em relação a Leonardo Moura, lateral direito de qualidade e que passou pelos quatro grandes do Rio sendo 10 anos no Flamengo.

Passou 10 anos no clube, conquistou diversos títulos, foi capitão e uma legião de fãs. Sua identificação com o clube foi tamanha que mereceu até um jogo de despedida, coisa que nem Júnior teve no Flamengo. Pois é, ele teve.

Teve e eu fiz coluna no OT na época para enaltecer a passagem do lateral pelo clube, aí três meses depois ele se oferece ao maior rival do Flamengo, o Vasco, para jogar nele.

Sabemos que o futebol hoje é profissional, não existe mais essa de amor a camisa e que o atleta tem que ver seu lado. Depois que a carreira acaba o dinheiro escassa e ninguém que ficou revoltado com transferências de jogadores ajudará a lhe manter na velhice, mas pera lá, tudo tem limite.

Tivemos inúmeros casos de jogadores que foram de um clube para o outro. Bebeto foi do Flamengo para o Vasco, Romário foi ídolo do Vasco e jogou no Flamengo, Andrade fez parte da geração de ouro do Flamengo e foi campeão brasileiro pelo Vasco, Edmundo é ídolo histórico do Vasco e "mostrou as coisas" pra torcida do mesmo jogando pelo Flamengo.

Mas nenhum deles teve jogo de despedida, volta olímpica, choro e três meses depois foi pro rival.

Repito. O futebol é profissional e Léo Moura tem que olhar por sua família, seu futuro e não pode ser impedido de jogar aonde quiser caso haja negociação, mas se ele não descartava um dia jogar no Vasco por quê aceitou partida de despedida do Flamengo?

Se estava magoado com a forma que foi tratado pela diretoria do Flamengo e cogitava jogar em Vasco ou Fluminense ia embora sem despedida, falava "Não quero ir embora, estou indo porque não me querem mais" e pronto. Poderia ter ido direto pro Vasco que não teria gritaria.

Léo Moura está em fim de carreira. Já ganhou muito dinheiro, não vai voltar para a seleção então não precisa disso para mudar sua vida profissional ou financeira. Não vai fazer o último grande contrato de sua vida, o Vasco tem dívidas, tem um teto salarial e com certeza não é mais dinheiro que ganha nos Estados Unidos. Não se adaptou a Miami? É um brincalhão!!

E o pior de tudo. Ele se ofereceu ao Vasco, como se ofereceu ao Fluminense esquecendo dos sentimentos de milhões que lhe idolatravam. Sim, coloco no passado porque depois dessa se queimou.

E o pior. Com esse ato "genial" se queimou com duas torcidas ao mesmo tempo, se queimou com o time americano e está impedido de jogar pelas leis internacionais

Assim como ele faltou o respeito com a torcida do Flamengo faltou com a Instituição Vasco, uma instituição centenária e que merece respeito. Não morro de amores pelo Eurico Miranda, todos sabem, mas ele é malandro, antigo no futebol e não iria anunciar um jogador sem estar fechado. Evidente que fechou.

Fez um papelão com o Vasco, com o Eurico e sua torcida. Se ofereceu, deixou que divulgassem acerto e pulou fora. Será que ele não imaginou que teria repercussão negativa o negócio? Será que ele realmente achou que a torcida do Flamengo deixaria pra lá? E agora que ele só teria o Flamengo pra jogar esse ano?

Errou e muito se oferecendo ao Vasco. A imagem dele se queimou tanto que hoje era capaz dele perder uma eleição pra Dilma.

Léo Moura um dia foi ídolo, não é mais. Destruiu uma imagem de 10 anos.

Mas ele apenas reflete esse futebol de hoje. Futebol que só pensa em grana, fotos em redes sociais e eternamente toma gols da Alemanha.

E assim caminha o futebol brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário