terça-feira, 15 de julho de 2014

LARANJA 3 X 0 BAGAÇO


Teve jogo sábado. Pra que eu não sei porque disputa de terceiro lugar numa copa é como dançar com a irmã, não serve para nada.

A seleção canarinho como diz um comentarista babaca de televisão fez uma campanha pífia. Aos trancos e barrancos e na tática “vamos lá porra’, tática preferida dos “professores brasileiros” passou com alguns sustos da primeira fase, viveu um grande drama com o Chile e no jogo que foi bem foi eliminada da copa.

Não, não foi eliminada contra a Alemanha, foi contra a Colômbia quando perdeu seu melhor jogador e seu capitão.

Provavelmente teria perdido pra Alemanha da mesma forma, mas as perdas de Neymar e Thiago Silva abalaram o time.

O 7x1 foi  uma curra já comentada aqui. Aí a seleção canarinho, toda arrebentada, teve que se preparar pra disputa do terceiro lugar contra a Holanda. 

De forma equivocada após o jogo com a Colômbia eu disse que não teríamos Maracanazo ou Mineirazo esse ano porque o papel da seleção estava cumprido. Chegaram até onde poderiam. Mas eu errei como todo mundo errou já que ninguém poderia esperar uma derrota acachapante como aquela.

Pior de tudo foi a reação depois tratando tudo apenas como um apagão. Um apagão de sete minutos que virou um apagão de cento e oitenta.   

O time foi mexido para enfrentar a Holanda. O que era ruim conseguiu ficar pior.

Se contra a Alemanha tomamos o primeiro gol com treze minutos contra a Holanda foi com três.

Um pênalti, que justiça seja feita, não ocorreu. Mas nem podemos falar muito porque era lance de expulsão para Thiago Silva. Nosso capitão que fez muita falta no jogo anterior, mas que mostrou ter um emocional durante a copa completamente descontrolado e não ter condições de usar uma faixa dessas.

Chorou e se escondeu antes de uma disputa de pênaltis, já poderia ter sido expulso em jogo anterior e tomou um cartão amarelo de forma infantil e bisonha contra a Colômbia.

A Holanda abriu o marcador e o pesadelo voltou a nos rondar. Vários  fantasmas nos assombrando e fazendo sentir saudades do fantasma de 50 que era um só. Será que tomaríamos outra goleada humilhante? Oito dessa vez.

Antes dos 15 minutos já estava 2x0 o que aumentava o pavor. Nosso goleiro, Julio César, era vazado desde terça de forma impiedosa e sem culpas já que não teve culpa de nenhum gol. Mas impressionante também como nada defendia. Não fez nenhuma defesa difícil,  que ia no gol entrava.  

Depois do 2x0 a Holanda, que passara por duas prorrogações, percebeu a fragilidade do adversário e resolveu se poupar colocando o pé no freio. De forma desordenada como índios em filme de John Wayne o Brasil foi para cima, ficou com muito mais posse de bola que o adversário, mas não incomodou.

Veio o intervalo, mexidas no segundo tempo e o panorama não mudou com a Holanda cozinhando o galo e o Brasil desordenado indo para o ataque. O passar dos minutos deu duas certezas, uma de alívio e outra desoladora.

A do alívio é que a Holanda queria que o mundo acabasse para morrer encostada em um barranco então não teria mais uma super goleada. A de desânimo era que o Brasil não arrumaria nada e perderia de novo. Um time perdido com um Felipão apático e jogadores como Neymar e Daniel Alves dando instruções mostravam bem o arremedo de seleção que haviam se transformado.    

Com o agravante que o Brasil estava em tão boa fase que se comprasse um circo o anão cresceria. Além de tudo era prejudicado pela arbitragem já que o segundo gol holandês também foi ilegal e pelo menos um pênalti a seu favor não foi dado.

O jogo corria. A torcida fazia selfies, acenava para o telão, praticava olas mostrando que era tudo, menos uma torcida de futebol quando no fim o Brasil tomou o terceiro gol, ocorreram umas vaias e o jogo acabou.

Passou desapercebido, Mas Holanda 3 x 0 Brasil virou o segundo pior resultado, ao lado da final da copa de 98, do Brasil em uma copa do mundo. 

Só perdendo para o 7 x 1 de quatro dias antes. Essa seleção entrava definitivamente para a história do futebol brasileiro.

A seleção do goleiro mais vazado, do pior camisa 9 desde 1966, do capitão chorão e da dupla de técnicos campeões do mundo que acabaram com suas imagens e só tem agora dona Lúcia como fã.

E graças a Deus com um injusto quarto lugar, porque merecia ter caído antes, encerrava-se ali a participação melancólica do Brasil em casa.

Se é que ela começou. 

A cada fim de coluna que falava dos jogos do Brasil postava “faltam 3 jogos”, “faltam 2 jogos”. Com essa não será diferente e postarei a última dizendo o que falta.

Falta muita coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário