sábado, 6 de julho de 2013

O PLEBISCITO DO VINAGRE


*Coluna publicada no blog Brasil Decide em 30/6/2013

E o povo conseguiu..Nunca a voz rouca das ruas foi tão ouvida, provocou tanto barulho, discussão e uma possibilidade de mudanças na vida brasileira.

O que começou em São Paulo com protesto contra o aumento de 20 centavos nas passagens do transporte público foi muito mais além. Graças ao destempero da polícia, a má condução do governo e da prefeitura de São Paulo, a mídia que foi atingida, ao futebol e mais um monte de coisas o fogo alastrou.

Pouco a pouco o povo brasileiro em seus estados, cidades, casas viram na tv e na internet o que ocorria e parava para pensar em suas vidas, seu país, no que ocorria de errado. Foram conclamados a ir para as ruas e foram. Foram dezenas, centenas, milhares, centenas de milhares protestar, manifestar, reivindicar. Muitos eram os alvos de protestos, todos justos.

Vândalos se misturaram a maioria pacífica e tentaram estragar o bonito movimento. O Fascismo rondou a multidão, mas não conseguiu penetrar. A democracia foi posta em risco, em dúvida e me parece agora que poderá sair mais fortalecida do que entrou.

No começo os políticos não deram muita atenção. A presidenta Dilma chegou a dizer que era “coisa da juventude” como se fosse algo hormonal. Partiram para generalizar o vandalismo e depois perceberam que algo de diferente ocorria.

Tiveram medo. Sim, medo, pela primeira vez vimos os políticos brasileiros com medo do povo. Bateram cabeça, correram para em ação conjunta diminuir o preço das passagens por todo o Brasil e a presidenta Dilma sumiu.    

Um sumiço preocupante, angustiante, onde nos sentimos sozinhos. Sábado passado comentei sobre esse sumiço e o reaparecimento na quinta com um pronunciamento em cadeia de rádio e tv onde fez um fraco discurso, mas com anúncios interessantes como um pacto nacional por reformas.   

O melhor veio essa semana.

Logo no começo dela Dilma convocou prefeitos, governadores e anunciou uma série de medidas que agradaram ao povo.

Propôs um plebiscito para o povo falar se quer uma constituição restrita. Constituição exclusivamente para a reforma política.

Caso isso ocorra teremos eleições para um congresso específico para fazer tais reformas. Um congresso que irá durar apenas alguns meses e não será reeleito.

No mesmo dia o congresso aprovou a proposta de 75% do dinheiro arrecadado com petróleo para a educação e 25% pra saúde. No dia seguinte a polêmica PEC 37 foi rejeitada no congresso. Nunca nossos políticos trabalharam tanto em tão pouco tempo.

Algumas pessoas torcem o nariz dizendo que é inconstitucional. Falam em medidas ditatoriais, populistas, que igualariam o Brasil a países como a Venezuela e preferem referendo que plebiscito.

Referendo é em vez do povo escolher o que quer que mude dar apenas sim ou não para mudanças já feitas pelo congresso.

Ainda não ficou claro se nesse plebiscito além da Constituinte votaremos algumas dessas reformas e quais. Tudo ainda vem sendo conversado.

O que acho?

Sou a favor que se consulte o povo. Já que queremos mudanças nada mais natural que participemos delas. Acho que temos que ter o plebiscito e a Constituinte restrita. Acho interessante a possibilidade de pessoas se candidatarem a ela mesmo não pertencendo a partido político.

Algumas medidas acho interessantes que sejam tomadas:

Voto distrital – Escolhermos representantes de nossa comunidade, que a gente conheça bem, possa cobrar e caso não goste de sua representatividade poder convocar eleição para tirá-lo.

Financiamento público em eleições – Prefiro dinheiro de nossos impostos usados para isso que empresas privadas financiando e cobrando depois.

Fim da reeleição e aumento de mandato para cinco anos – Isso valendo para presidente, governadores, prefeitos e senadores.

Cinco anos para vereadores e deputados com apenas uma possibilidade de reeleição.

Corrupção se transformando em crime hediondo – Só pensar em quanto nosso país perde, quantas vidas são perdidas com o dinheiro desviado.

E sei que não tem a ver com reforma política, mas eu queria e insisto no plebiscito sobre a maioridade penal tendo a possibilidade de manter a maioridade em 18 anos, mas diminuindo para pelo menos 15 para crimes hediondos.

Muito temos a conversar, a debater para fazer um país melhor e escolher o caminho para essa transformação. As manifestações deram certo sim, só acho duas coisas.

Manifestação contra a copa agora é só pra marcar posição. Já era, o dinheiro já foi gasto. Tirar a copa daqui é perder a única chance de tentar recuperar um pouco do dinheiro gasto.

Está na hora de sair das ruas e debater as propostas. O que tinha que ser feito já foi feito e continuar nas ruas é dar guarita a fascistas e vândalos.

Acho que ta na hora de situação e oposição se unirem a favor disso. Não entendo a oposição tentar brecar alegando faltar um ano para as eleições quando um ano antes das eleições de 1998 aprovaram a reeleição e a possibilidade de Fernando Henrique Cardoso ser reeleito como ocorreu.

Não vejo nada de ditatorial em convocar o povo para escolher e uma Constituinte para reformas, muita pelo contrário.

Também sou a favor da vinda dos médicos cubanos. Só pensamos nas grandes cidades. Mas no interior do país chegam a oferecer ótimos salários e moradias para médicos e eles não querem. Tudo é mal distribuído não só na medicina como nesse país como um todo.

O povo gritou, o povo quis mudança, se revoltou e foi ouvido. Quem diria que o adolescente com máscara de filme de Hollywood seria mais bem sucedido que Tiradentes ou que a Revolta do Vinagre fosse mais vitoriosa que a Inconfidência Mineira, por exemplo.

O vinagre fez história.

E fará mais ainda.

Ps. Nesse sábado saiu uma pesquisa que mostra que a popularidade da presidenta caiu 27%. Acredito que ela vá recuperar a popularidade e vença no primeiro turno pela total falta de adversários a altura. A prova é que mesmo com essa queda continua liderando a corrida presidencial.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário