segunda-feira, 22 de julho de 2013

DEU RUIM PRO SEU CABRAL


E o Cabral hein? No momento que as coisas parecem acalmar no país do vinagre as coisas azedam pra ele.

O clima nunca foi muito amistoso entre Cabral e o povo. Desde a chegada em 1500 quando encontrou os índios por essas terras existiu uma animosidade. Ok, aquele Cabral era outro, mas não podia perder a piada.

Mas assim como Pedro Álvares o Sérgio descobriu algumas coisas. Descobriu que não podia deitar em cima dos 60% dos votos válidos das últimas eleições achando que estaria acima do bem e do mal. Que ele teria que prestar contas de seus atos.

Não acho no geral Sérgio Cabral um governador ruim. Pra mim é o melhor governador que tivemos nos últimos vinte anos. Tudo bem que ser melhor que Marcello Alencar, Anthony Garotinho, Benedita da Silva e Rosinha Matheus não tem muitos méritos, mas é melhor sim.

O estado melhorou de 2007 pra cá. Concordo com as UPPs e entendo o real motivo delas. As UPPs não irão acabar com o tráfico de drogas, a missão dela é a recuperação de território, é devolver o direito constitucional de ir e vir que qualquer um de nós tem e só quem viveu em uma favela dominada por tráfico e depois passou pra pacificada sabe.

Mas até mesmo as UPPs tem problemas, depois digo.

A sensação de segurança aumentou no estado. Prefeitura e governo do estado vem trabalhando em mudanças profundas, muito devido à Copa e a Olimpíada e tanto estou certo que os dois governantes foram reeleitos com extrema facilidade.

Qual o problema então?

O problema não é administrativo, é moral.    

Normalmente esses problemas do Cabral, essa sua ligação com a Delta, fotos suas em restaurantes com empresários, uso de helicóptero do estado para coisas pessoais passariam desapercebidos. O Brasil é o país do jeitinho, do “rouba, mas faz”, onde todo mundo quer se dar bem. O povo veria as maracutaias do governador e diria rindo “esse é malandro”, só.  

Só que em 2013 alguma coisa mudou e não sei se é fase ou permanente, que seja permanente. O Brasil teve uma crise de ética, de valores, aprendeu um pouco de noção de cidadania e resolveu ir para as ruas. Não é apenas por vinte centavos, mas por um todo que incomodava, era deixado de lado, mas chegou o momento que a água transbordou da bacia.

O povo foi para as ruas contra o jeitinho, o “rouba, mas faz”, o mau político e acabou sobrando pra quem? Para aquele que está cheio de denúncias em cima.

Sobrou pro “seu Cabral”. Das denúncias citadas acima e um dos principais nomes atrelados aos possíveis prejuízos que o país pode ter com a copa. O Maracanã foi totalmente demolido e feito um estádio em seu lugar com gasto muito maior que o previsto. Lógico que isso levanta desconfiança que alguém se deu bem.

Ainda mais que logo depois de pronto foi feita uma licitação no mínimo estranha e o estádio, um de nossos maiores orgulhos, foi passado de mão beijada a um grupo que tem o empresário Eike Batista. Tudo esquisito, tudo estranho, sem transparência. 

O povo lembrou disso ao ir para as ruas e não poupou o governador fazendo manifestações diárias na frente de sua casa. Cabral como todo político acuado desdenhou, foi soberbo e atribuiu a pequenos grupos e a oposição as manifestações contra sua pessoa.

A questão é que pelo país os outros políticos perceberam a dimensão da coisa ao longo do tempo e mudaram o discurso. Ele não.  

As manifestações foram aumentando ao mesmo tempo em que ele tratava com desdém denúncias e dizia ser normal usar helicóptero do governo para coisas pessoais. Os protestos ficaram mais violentos. Teve confronto entre manifestantes e polícia na região do Flamengo no começo da semana passada até que teve a manifestação no Leblon que chamou atenção do país todo.

Tudo suspeito demais. Começou como uma manifestação como outra qualquer e acabou com atos de vandalismo, quebra-quebra. O governador acusou a oposição e entidades internacionais pela violência e eu fico em dúvida.

Normalmente não sou a favor da teoria da conspiração, mas nesse caso estamos falando dos políticos fluminenses que são capazes de tudo, até de vender a mãe em suaves prestações. Só ver Tropa de elite 2, lembrar da operação policial atrás das armas e que o filme foi baseado em fatos reais.

Minha dúvida é em que ajuda a quem cada ato.

Evidente que manifestações diárias, essa encheção de saco em cima do Cabral ajudam a oposição. As eleições de 2014 estão chegando, eleições em aberto já que não existe mais possibilidade de reeleição. Manifestações e denúncias ajudam não só a comprometer o futuro político de Cabral como também de Pezão, escolhido para lhe suceder.

Manifestações como essas chamam mais atenção da mídia e do público que mortes na Maré e desaparecimento na Rocinha. Não devia, mas é assim já que é um lugar chique, de classe média alta e achamos que só existe em novelas do Manoel Carlos.

Mas e o vandalismo?

Nisso tudo gente ligada ao PSOL e ao ex-governador Garotinho foram presos, mas ajuda a oposição o vandalismo? Na verdade ela não tira o foco do problema que é o ataque ao governador e foca o problema da violência de vândalos que destroem a cidade? O foco sai de Sérgio Cabral e vai para o lojista chorando porque sua loja foi destruída ou moradores do Leblon entregando flores pelo bairro.

A população se comove, pede ação da polícia contra aqueles que protestam e vandalizam, esquecem o governador e os problemas atribuídos a ele. Na verdade a teoria da conspiração serve para os dois lados nessa situação. Tanto governo quanto oposição teriam a ganhar e a perder colocando pessoas infiltradas em manifestações para provocarem arruaça. Cabe tentar entender a cabeça deles pra ver quem ganharia mais.

E as situações estranhas vão se sucedendo. Sociólogo sofre sequestro relâmpago e ameaça para não falar mais de violência aos jornais. Tudo leva a crer que foi coisa da polícia, mas não poderia ser a oposição querendo queimar ainda mais o governador? E o ataque ao Afro Reggae no Alemão? A quem interessa o Brasil todo ver que a UPP tem falhas e uma entidade sem fins lucrativos e que serve para ajudar os pobres é expulsa de uma favela que a princípio não tem mais tráfico?

Muitas questões para serem respondidas. São atos espontâneos? Do governo? Da oposição? Entidades internacionais? Traficantes que perderam poder? Da direção do Flamengo? Da Globo? Foi o Adriano Imperador? As UPPs deram água? Por quê Amor à vida começou tão legal e ficou chata? 

Ninguém sabe. Cabe a nós continuar assistindo e vendo o que vem por aí.

A nau de Cabral passa por mares revoltos.


  

2 comentários:

  1. Acho q muita gente aqui no RJ curte o Cabral, ou pelo menos reconhece o tanto q ele fez pelo RJ, mas nesse momento de manifestações no país, os partidos políticos estao se aproveitando para desviar o foco, manipulando informaçoes estao usando o povo como massa de manobra para crucificar os oponentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, estão se aproveitando do momento pra induzir o povo

      Excluir