segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Capítulo XVIII - Volta por cima

Lucas tentava esquecer Mayara e se dedicar a religião. Junto com outros evangélicos pregava a palavra do Senhor e converteu vários presos.

Dentro da cadeia recebeu um “presente” de Mariano. Um pacote repleto de cocaína. Noel viu e animado contou que “aquele era do bom”. Lucas concordou, mas disse que não era mais a dele e jogaria fora.

Noel pediu para Lucas não jogar, mas o rapaz contou que iria porque as drogas faziam mal e iam contra os preceitos de Deus. Noel argumentou que aquele pacote ajudaria muito na vida de Lucas na cadeia.

Lucas acabou cedendo e entregando o pacote para Noel que dividiu com os outros presos da cela agradecendo a Lucas que lia bíblia e em oração pedia desculpas a Deus.

Jéssica visitou o irmão na cadeia e contou que a emissora de televisão que abriu espaço para sua defesa no caso do assassinato de Wilson queria outra entrevista exclusiva com ele contando da vida no presídio e sua conversão.

Lucas pensou e respondeu a Jéssica que não sabia se seria bom. Ele queria recuperar sua paz interior e ficar longe da mídia. Jéssica argumentou que seria bom para sua imagem mostrar o novo homem que era além que a emissora pagaria.

Lucas pensou mais um pouco e aceitou, mas disse que não queria dinheiro. Queria mostrar o seu lado nos problemas que passou e a palavra de Deus.

Lucas deu entrevista para o mesmo programa dominical de variedades da vez anterior. Andou com o repórter pelo pátio e deu uma entrevista franca onde abriu seu coração e não deixou nenhuma pergunta sem resposta.

Contou de seu problema com álcool e drogas que já começara no auge do sucesso e só foi piorando com o tempo. Falou de seu deslumbramento com o sucesso, dinheiro e o envolvimento com o tráfico através de seu irmão Mariano.

Completou assumindo o sequestro de Wilson por suspeita de desvio de dinheiro, mas negou o assassinato do empresário. Duas perguntas que ficariam para sempre sem respostas se Wilson desviou ou não dinheiro e quem lhe matou.

Lucas falou da família. Da saudade de Jurema e Balão. O amor incondicional que sua mãe sempre lhe deu, seu apoio e os conflitos que teve com o pai, seu alcoolismo que só foram resolvidos no fim de sua vida. Lucas completou dizendo que depois que se tornou viciado começou a entender mais seu pai.

Falou do amor por Mayara e Jonatan e que esperava um dia ter coragem de conhecer Bia.

Terminou a entrevista falando de Léo. Do amor e saudade que sentia do seu irmão, parceiro e que sempre se achou o líder da dupla, quem impulsionava e que só depois da morte de Léo sentiu que ele que era seu alicerce, a fortaleza e sem o parceiro desmoronou.

A entrevista fez o programa ter picos de audiência e melhorou muito a imagem de Lucas junto a sociedade. O povo viu verdade em seus olhos e por alguns minutos viu o rapaz que conquistara a todos de volta.

Os anos se passaram e graças a seu comportamento exemplar Lucas foi liberado após três anos preso.

Na porta da cadeia foi cumprimentado pelos guardas que lhe desejaram boa sorte. Lucas agradeceu e sorriu sentindo o gosto da liberdade com o Sol mandando os raios sobre seu rosto.

Olhou para frente e viu Jéssica e Rubens encostados em um carro. Lucas atravessou a rua e deu um abraço forte na irmã que lhe disse que não estava sozinho.

Jéssica e Rubens levaram Lucas para o Dendê. Jéssica contou que construíra um quarto na parte dos fundos de sua casa para que Lucas morasse. O irmão agradeceu e disse que ajudaria no que pudesse ao casal.

Jéssica conduziu o irmão até o quarto e mandou que ele ficasse a vontade. Lucas agradeceu e fechou a porta olhando o interior do quarto.

Era bem diferente do que Lucas se acostumara na época do sucesso. Um quarto humilde com uma cama de solteiro, uma mesinha de cabeceira, armário e um ventilador. Bem diferente das tvs de plasma, ar refrigerados e frigobares dos hotéis luxuosos.

Mas também era bem diferente de onde Lucas dormiu nos últimos três anos. Não dormiria no chão depois de muito tempo. Agradecendo a Deus ele deitou naquela cama humilde como se estivesse em uma king size e deu um suspiro de felicidade.

Lucas queria ajudar o casal de alguma forma, mas não sabia fazer nada além de construir e cantar. Como sua carreira no funk acabara decidiu voltar a ser pedreiro.

Jéssica se espantou porque acostumara com Lucas em cima do palco cantando para milhares de pessoas e não conseguia imaginar seu irmão novamente trabalhando como pedreiro. Lucas respondeu que a igreja lhe ensinara o poder da humildade e que todo trabalho era digno.

Dessa forma Lucas procurou trabalho e rapidamente conseguiu em uma casa na favela para espanto dos donos da casa que nem sabiam o que dizer quando Lucas lhe ofereceu seus serviços.

Sem vergonha nenhuma Lucas e mais dois rapazes do morro começaram a trabalhar na casa embaixo de Sol forte. Lucas voltava as suas origens e o que para muitos poderia ser sinal de fracasso e humilhação para ele era volta por cima. Voltar a ser o homem que sempre foi.

Um dia trabalhava e Mariano passou com alguns comparsas pela construção. Olhou para Lucas sem camisa suado, sofrendo para carregar sacos de cimento e sentiu tristeza. Lucas notou que Mariano lhe olhava e perguntou se tinha ocorrido algo.

Mariano com pena do irmão respondeu que Lucas devia ter lhe ouvido quando foi visitar na cadeia criança e ele pediu que não fosse mais ao presídio.   

Lucas argumentou que o irmão sentia vergonha dele na hora errada, devia ter sentido quando ficou cheirando com ele tendo um festival para cantar no dia seguinte. Mariano respondeu que qualquer coisa lhe procurasse e caminhou.

Lucas gritou que não iria precisar e continuou a carregar cimento.

Trabalhou em algumas obras e de vez em quando curiosos apareciam para tirar fotos do rapaz trabalhando. Algumas delas pararam em revistas sensacionalistas, mas Lucas estava feliz e não se entristecia com a pena das pessoas.

E teria mais motivos para sorrir.

Uma noite chegou na casa de Jéssica e encontrou dois vizinhos que visitavam o casal. Damião que era motorista de táxi e Dora, sua irmã.

Damião deu um abraço em Lucas contando que era um prazer lhe conhecer e que Lucas era um de seus ídolos. Lucas agradeceu e depois recebeu um aperto de mão de uma sorridente Dora que também disse que era sua fã.

Todos foram jantar e Dora não tirava os olhos de Lucas que se envergonhara. 

Damião contava de sua rotina dirigindo táxi e do cansaço que sentia precisando de alguém para dividir o trabalho com ele.

Dora na hora perguntou a Damião porque não contratar Lucas que estava sem emprego fixo e com certeza conseguiria muitos passageiros entre seus fãs.

Lucas respondeu que não podia aceitar porque sua carteira foi apreendida. Rubens contou que pelo tempo que passou ele poderia conseguir sua carteira de volta. Lucas então falou que conseguindo aceitaria.

Os vizinhos foram embora e Jéssica se aproximou do irmão dando um abraço e falando que Dora gostava dele. Lucas sorriu e respondeu que era impressão da irmã e a vizinha só fora gentil. Jéssica riu e disse que não, ela gostava mesmo e Lucas perguntou como ela tinha tanta certeza.

Jéssica perguntou ao irmão se ele tinha uma fã misteriosa que todas as semanas mandava cartas de incentivo para a cadeia e Lucas respondeu que sim. Jéssica sorriu e se encaminhou para a cozinha, mas antes de entrar contou “Era Dora”.

Entrou, voltou da cozinha falando que Lucas devia convidar a vizinha para sair e retornou para a cozinha.

No dia seguinte Lucas foi até a casa de Dora e bateu na porta. A moça abriu e sorriu ao ver Lucas perguntando se ele precisava de algo. Lucas respondeu que sim, precisava saber se Dora queria ir ao cinema com ele.

Dora sorriu novamente e pediu cinco minutos para se arrumar.     

Lucas e Dora foram ao cinema e fazia tempo que o rapaz não se divertia tanto. 

Na fila da pipoca chegou a dar alguns autógrafos e recebeu perguntas de quando voltaria a cantar. Lucas respondia que não voltaria e os fãs se entristeciam. Isso fazia bem a Lucas, saber que ainda tinham carinho por ele.

Assitiram um filme de comédia e deram muita risada. No fim voltaram para casa comendo cachorro quente e conversando.

No caminho Dora perguntou a Lucas porque ele não voltava a cantar e ele respondeu que as coisas que cantava não conduziam com seu novo estilo de vida.

Dora contou que ele não precisava mais cantar funks poderia virar um cantor gospel, que Lucas poderia pensar com carinho nessa idéia já que tinha um talento que não podia ser desperdiçado e poderia passar bonitas mensagens através dele.

Lucas e Dora chegaram na porta da casa da moça e Lucas disse que iria pensar em sua idéia. Dora sorriu, deu um beijo no rosto de Lucas que perguntou quando ela diria que era a fã que mandava as cartas pro presídio.

Dora sorriu evergonhada abaixando os olhos. Lucas tocou em seu rosto e beijou a moça na boca que correspondeu.

Chegando em casa Lucas entrou no quarto, pegou um caderninho, caneta e começou a escrever.

Lucas conseguiu reaver a carteira e começou a dirigir o taxi. Ao mesmo tempo começou namoro com Dora, frequentava quase todos os dias culto da igreja e escrevia músicas gospel. Era um novo homem e parecia querer um futuro melhor, bem menos sombrio do que se projetava.

Lucas com doze músicas prontas procurou DJ Mustang. O produtor demonstrou surpresa com a visita de Lucas e felicidade por ver que ele estava diferente. Lucas contou que precisava de sua ajuda.

Disse ao produtor que tinha doze músicas gospel prontas e queria produzir um cd demo para procurar gravadoras. Mustang respondeu que não conhecia o meio e nunca produzira um gospel. Lucas argumentou que confiava no talento do produtor e precisava dele para voltar a cantar.  

Mustang aceitou e produziu cd demo com uma música para que Lucas corresse atrás de gravadoras.

Sem empresários e com a cara e a coragem Lucas foi atrás de gravadoras voltadas ao público evangélico e não demorou a que conseguisse uma.

Lucas ainda tinha muitos fãs, fama e um grande talento que faria qualquer gravadora se interessar em ter o artista em seu casting além da música ser boa. 

Uma gravadora se interessou e em poucas semanas Lucas entrava em estúdio.

Em pouco tempo a música “Jesus de Nazaré” estourava nas rádios voltadas ao público evangélico e não demorou que o cantor voltasse a um programa de televisão.

Lucas foi se apresentar no programa que lançou sua dupla com Léo e o início de sua carreira solo.

Lá o público em geral conheceu a canção.


JESUS DE NAZARÉ

Quando já tinha
Desistido de viver
Andava sem esperanças
Tão cansado de sofrer

Uma voz me disse
Acredite no amor

Abra o seu coração
Que nele entra o salvador

Mas como faço
Se ele foi preso na cruz
Me ajoelho a teus pés
E lhe peço uma luz

Me envolva com seu manto
Cubra os medos que expus
Preciso tanto do Senhor
Te imploro meu Jesus

Estou tão ferido
Sangraram o meu corpo
E a alma vive a chorar
Rogo em minha fé
Por Jesus de Nazaré
Só ele pode me salvar 

A canção emocionou porque ela diz muito do que Lucas viveu e no fim o rapaz contou como estava sua vida desde o sequestro de Wilson até aquele momento.

Foi uma participação comovente que mostrava um novo Lucas Violi.

Mas faltava uma coisa para que Lucas mostrasse que estava disposto a ser um novo homem.

O apresentador contou a Lucas que uma pessoa queria lhe conhecer e o rapaz ficou curioso perguntando se ela estava ali. O homem respondeu que sim e perguntou se Lucas queria que ela entrasse, o rapaz curioso respondeu positivamente.

 O Apresentador ao microfone então pediu que entrasse “Beatriz Violi”.

Lucas se assustou ao ver Bia entrar no palco. A menina já tinha nove anos de idade. A linda menina entrou no palco com cara de assustada e Lucas logo viu que não tinha como negar que era sua filha. Bia era a sua cara.

Lucas pediu que Bia se aproximasse e ela sem jeito chegou perto dele. O rapaz então se ajoelhou e abraçou a filha pedindo perdão por todos os seus erros com ela.

Bia muito tímida respondeu “tá bom papai” e emocionado Lucas chorou abraçado a Bia comovendo a todos.

Lucas finalmente assumia que tinha dois filhos e procurou ser um bom pai para Jonatan e Bia. Procurava evitar encontrar Mayara então Dora que se encarregava de buscar Jonatan e assim Lucas, Dora, Jonatan e Bia passeavam em cinemas, circos, shoppings e parques mostrando ser uma família feliz.

Lucas fazia shows para lançar seu novo cd que vendia como água. O rapaz agora tinha a vantagem de público evangélico não comprar cds piratas então rapidamente chegou ao disco de platina.

Fazia cerca de dez shows por mês. A maior parte pelo Rio de Janeiro, mas fazia alguns fora do estado e nesse caso pedia autorização da justiça por estar em condicional. Seu público não era tão amplo quanto já teve, nem sua fama. Mas Lucas contava com um público fiel que gostava de suas canções.

Conseguiu juntar dinheiro e comprou seu próprio taxi. Não parava de dirigir porque o dinheiro que recebia de shows além de não ser tanto a ponto de lhe deixar milionário achava que tendo uma vida comum, fazendo coisas que todo mundo faz não se deslumbraria.

Fez curso para pastor e em algum tempo já pregava na igreja do morro, além de outras igrejas pela cidade fazendo testemunho de sua vida e como se recuperara.

Voltou a carreira literária e lançou “O diário de Lucas”. Um livro que ele começou na cadeia em forma de diário contando seu dia a dia no presídio e continuou do lado de fora mostrando como retomara sua vida e sua carreira de cantor.

O lançamento desse livro foi bem mais simples do que sua primeira biografia. Foi lançado em uma igreja no bairro de Del Castilho sem artistas ou pessoas da alta sociedade, mas com a presença da imprensa e deu seu público fiel.

Fazia planos de casar com Dora e começou a construir uma casa ao lado da casa de Jéssica.

Vivia uma fase feliz como não imaginara que viveria novamente. Cantor, taxista, pastor, escritor...eram muitas atividades para um homem que já se considerava acabado. Lucas havia resgatado sua auto-estima, sua honra e recuperado sua imagem não só a frente da sociedade como das pessoas que amava.

E assim Lucas prosseguia sua vida. Em paz com Deus e com ele mesmo.

Uma noite Lucas dirigia quando um casal fez sinal com uma criança junto. 

Lucas parou e pelo espelhinho na frente notou que conhecia aquelas pessoas.

Olhou pra trás e viu Mayara. Sua ex mulher estava acompanhada do filho deles Jonatan que sorridente falou “oi papai”.

Lucas respondeu ao filho e engolindo em seco disse “oi Mayara”, Mayara respondeu e o homem que estava ao lado dela falou “boa noite Lucas”.

Era Jonas, seu irmão e que Lucas descobria naquele momento que era o novo marido de Mayara.

Lucas viu o irmão com Mayara e sentiu como se uma faca entrasse em seu peito, sentiu toda a dor da traição, mas respondeu o cumprimento e perguntou aos passageiros para onde eles iriam. Mayara respondeu que pra sua casa e Lucas deu partida no carro.

Um silêncio constrangedor tomou conta do carro. Jonatan dormiu no colo de Jonas e Lucas pelo espelho olhava seu filho dormindo no colo do novo marido daquela que fora a mulher de sua vida. Sentia o próprio irmão roubando sua mulher, seu filho e uma tristeza que há tempo não surgia tomou conta dele.

Mayara contrangida olhava pro lado de fora do taxi torcendo para chegar logo em casa.

Chegaram na frente da casa e Jonas desceu com Jonatan. Mayara perguntou a Lucas quanto devia e ele respondeu nada. Mayara mandou que ele parasse de besteira e perguntou novamente quanto devia.

Lucas sem olhar para a ex respondeu que ela devia sua vida, mas como isso era impossível que ela pagasse queria apenas que ela descesse do carro.

Mayara sem falar mais nada desceu e Lucas acelerou.

Lucas se pertubou ao ver Mayara com Jonas e não conseguiu mais trabalhar.

Andou pela cidade perdido, sem rumo e decidiu voltar pra casa.

Chegou em casa e foi pro quarto. Revirou-se na cama e não conseguia dormir pensando em Mayara e na traição que o irmão cometera. Decidiu sair pra espairecer.

Andou pela favela até chegar à frente do Acadêmicos do Dendê. Era noite de baile.

Sentou-se do outro lado da rua no meio fio e via a movimentação. As pessoas na fila para entrar, o mesmo porteiro de sempre e o som do funk alto rolando dentro da quadra.

Pela primeira vez desde que se converteu Lucas sentiu-se perdido, como se tivesse deixado sua vida escapar pelos dedos. Lembrou-se de Léo e Jonas, dos três todas as sextas ansiosos se arrumando e se encontrando para ir ao baile e sentiu saudades deles.

Notou uma mão em seu ombro e viu que era Mariano. Acompanhado de dois soldados e com um fuzil preso nas costas Mariano perguntou a Lucas se ele precisava de alguma coisa.

O rapaz só olhou o irmão, sem responder nada.

Algumas semanas depois Rubens chegou em casa e sentiu falta de algumas coisas na sala. Jéssica chegou logo depois e Rubens perguntou se ela tinha feito algo com a TV de plama e o home theater e ela respondeu que não.

Vasculharam por toda casa e Jéssica nervosa gritava que eles foram assaltados. 

Rubens respondia que aquilo não era possível já que não havia assaltos no morro.

Dora chegou perguntando por Lucas e Jéssica respondeu que não sabia dele e que foram assaltados. Rubens argumentou que talvez Lucas soubesse de algo e foram até o quarto dele perguntar.

Bateram na porta e ninguém respondeu. Rubens notou que a porta estava destrancada e abriu.

Abriu e não encontrou nada dentro. O quarto estava vazio Lucas levara suas roupas, tudo.

Jéssica desolada passou a mão pelo rosto e exclamou “Meu Deus!!”.

Lucas sucumbiu, o mal venceu.










Nenhum comentário:

Postar um comentário