domingo, 12 de fevereiro de 2012

Capítulo XIV - Maracanã

Mayara e Lucas entraram abraçados no quarto do hospital e viram Jonatan dormindo. Ficaram lá admirando o filho dormindo, aliviados por ter sido só um susto e se retiraram para que ele descansasse.

No dia seguinte Mayara e Jonatan voltavam de mala e cuia para a casa de Lucas. O casal enfim reatava.

Mas Lucas ainda tinha problemas para resolver. Graças ao incidente no Rock in Rio parou em uma delegacia para prestar depoimento. No fim convocou entrevista pedindo desculpas pelo ocorrido e além de se livrar de processos conseguiu manter seus patrocinadores.

A fase de Lucas era bem criativa. Vendeu os direitos de sua autobiografia ao produtor de “No baile” que transformou em filme. Lucas deu palpites no roteiro, acompanhou as filmagens e passou com Mayara pelo tapete vermelho no dia da estréia sorridente e com cara de vencedor.

O filme foi um sucesso transformando-se na maior bilheteria do cinema nacional do ano.

Também decidiu se tornar autor de teatro e no mesmo período escreveu um musical sobre um rapaz do morro que sonhava em ser jogador de futebol. 

Criou o texto e doze músicas para o musical “Um sonho de futebol” que foi muito bem recebido pela crítica.

Fazia também músicas para outros artistas emplacando vários sucessos de vários ritmos tornando-se o maior arrecadador de direitos autorais do país.  

A carreira musical também prosseguia com pleno sucesso e ele conseguiu botar mais uma música nas paradas chamada “Um dia”.


UM DIA

Um dia, eu amei
Uma garota, me apaixonei
Mas ela não me amou
Nunca soube me dar valor
Eu tentei, de todas as formas que ela me amasse
Eu chorei, um pranto doído molhou minha face

Um dia eu juntei
O que sobrou de mim e me mandei
Naquela história dei um fim
Decidi gostar de quem gosta de mim
Procurei
Outro alguém que meu amor importasse
Encontrei
Um novo amor sem que carinho implorasse
Mas um dia o telefone tocou
Me abalei quando uma voz conhecida me falou

Alô, é a sua garota
Alô, por favor me perdoa
Um grande amor não acaba assim
Te amo baby, volta pra mim

Alô, é a sua garota
Alô, por favor me perdoa
Meu amor, não diz que não
Sei que é meu seu coração

Recebeu convite para abrir o show do cantor George Hunt no Brasil. O tal cantor era americano e o maior sucesso do mundo na atualidade, o maior vendedor de cds do planeta com músicas estouradas em todos os cantos da Terra.

O show seria na praça da Apoteose que vem a ser local da dispersão do desfile das escolas de samba. Onde Balão morreu e Lucas não sabia se poderia pisar naquele local de novo.

Mais uma vez entrou em atrito com Wilson que exigia que o rapaz se apresentasse para apagar o fiasco do Rock in Rio. Discutiram muito e mais uma vez o rapaz foi convencido pelo empresário a fazer o que ele queria.

Já que seria obrigado a abrir show de gringo. Lucas além de não querer mais pisar naquele local se sentia humilhado tendo que abrir show para outros ele decidiu que estragaria tudo de novo como fez no festival.

Mas estragaria de outra forma, estragaria o show do americano.

Ficou um tempo sem beber e se drogar, um adendo Mayara não percebera que o marido andava fazendo essas coisas, ensaiou bastante com sua equipe e planejou algumas surpresas para a apresentação.

Quarenta mil ingressos foram vendidos para a apresentação na Apoteose de George Hunt. O gringo chegou ao Brasil cercado por seguranças e não quis papo com a imprensa mostrando-se antipático.

Foi para o hotel e não apareceu na sacada do quarto nenhuma vez para saudar os fãs que “fritavam” no asfalto com aquele quente verão do Rio de Janeiro.

Lucas passou o dia do show em casa brincando com Jonatan e namorando Mayara, descansou de tarde e de noite se dirigiu ao local do show.

Levou uma mala consigo e disse a sua equipe que era uma surpresa pro show. 

Trancou-se no camarim para sua meia hora de lei, abriu a mala e se arrumou.

Quando viram sua roupa tomaram susto. Wilson ainda tentou fazer o cantor mudar de idéia, mas em vão. Da forma que estava vestido entrou no palco.

Foi anunciado e entrou no palco da Apoteose vestido de rei. Com uma capa vermelha, cetro da mão, coroa na cabeça gritou boa noite para os presentes sendo ovacionado.

Naquela noite Lucas estava encapetado. Cantou como poucas vezes na vida e quase colocou a Apoteose “abaixo”. Regia o público, tinha o mesmo nas mãos comandando quarenta mil pessoas.   

O show que era pra durar uma hora durou uma hora e meia. Os organizadores desesperados pediam para Lucas deixar o palco e ele se recusava, o público ia ao delírio e pedia mais.

Quando Lucas anunciou que teria que encerrar o show devido o pedido dos organizadores o público vaiou e começou a gritar seu nome. Lucas cantou o que ele chamou de “saideira” e despediu-se aos gritos de “fica” e vaias para a organização.

Saiu do palco consagrado e com sorriso nos lábios. Deu um tapinha no ombro de George Hunt dizendo “se vira gringo” e se encaminhou ao camarim.

Wilson perguntou por que a demora pra sair do palco e que palhaçada foi aquela de entrar vestido de rei. Lucas olhou bem sério para Wilson e disse “Eu não entrei vestido de rei, eu sou o rei”.

E era mesmo..

Era muito sucesso, em muitas vertentes diferentes e isso lógico mexia com o rapaz que nasceu pobre e iria dormir sem saber se poderia almoçar no dia seguinte.

Comprou uma Ferrari e fez questão de mostrar a imprensa posando sorridente para fotos. As manchetes dos jornais do dia seguinte diziam que o rapaz pobre e humilde agora ostentava uma Ferrari.

O que soava como crítica virava diversão para Lucas e desespero para Wilson.

A relação com Wilson Mendes andava meio estremecida. Wilson furioso com atos irresponsáveis de Lucas e o rapaz com a forma que o empresário lhe tratava batiam boca e se xingavam quase que diariamente. Lucas pensava em demitir o empresário, mas a multa por quebra de contrato era milionária.

O que ele pôde fazer foi retirar a procuração que tinha dado a Wilson de plenos poderes de sua movimentação de dinheiro. Lucas apesar de se gabar de ser bom administrador não entendia nada de finanças e era Wilson que tratava desse assunto.

Lucas passou esse poder a Rubens, seu cunhado.

O melhor para a carreira de Lucas ainda estava por vir. Lucas dormia em casa quando o celular tocou e irritado viu o nome de Wilson. Atendeu perguntando o que o empresário queria e ele respondeu que tinha uma ótima e que ele fosse a seu escritório ouvir.

Lucas foi e Wilson contou que tinha uma proposta maravilhosa de show que a gravadora bancaria para uma gravação de DVD. Lucas sem se importar muito e se mostrando entediado perguntou aonde e Wilson respondeu “No Maracanã”.

Lucas pareceu não entender e perguntou se seria no Maracanãzinho e abrindo show de mais um gringo e Wilson respondeu que não, era show apenas dele e no Maracanã mesmo, no estádio. 

Lucas arregalou os olhos exclamando “Maracanã !!” e o empresário contou quando seria o show, como seria a gravação do DVD e a gravadora esperava colocar cem mil pessoas no estádio para ver seu show.

Mas Lucas não ouvia nada que Wilson dizia. Só pensava no Maracanã, no seu sonho de infância de jogar no estádio pelo Flamengo. Não realizou o sonho de jogar lá, mas pisaria no Maracanã como astro da música.

Entusiasmado chegou em casa e gritou por Mayara. Sua esposa apareceu perguntando o que ocorrera e Lucas com lágrimas nos olhos respondeu que cantaria no Maracanã.  Mayara abraçou o marido feliz que só sabia dizer “Maracanã..Maracanã..” Jonatan se aproximou e Lucas pegou o filho no colo jogando para o alto e dizendo que o pai cantaria no Maracanã.

Os três finalmente formavam uma família feliz.

Mayara parecia ter esquecido a traição de Lucas com Odete e de coração dado uma segunda chance para ele. Via o marido progredindo como ser humano e achava que as turbulências tinham passado e era tempo de calmaria.

Mas não era bem assim...

..uma mulher foi a um programa de fofocas vespertino contando que teve uma filha de Lucas. A menina tinha três anos de idade e se chamava Bia. Mayara fez os cálculos e percebeu que no período estava com Lucas.

Perguntou ao rapaz o que significava aquilo e Lucas desmentiu a mulher dizendo que era mentira e nunca tinha lhe visto na vida. Mayara então exigiu do marido exame de DNA para provar que ele não era o pai.

Lucas se recusou e informou que com aquela atitude Mayara mostrava que não confiava nele. A moça olhou bem séria pro marido e respondeu que não confiava.

Lucas convocou uma entrevista coletiva, mais uma, pra dizer que não conhecia a moça e ela estava mentindo para destruir seu casamento, mas aí a mulher para provar que falava a verdade entrou com o pedido do exame.

Lucas foi convocado para tirar sangue para o exame e topou. Foi ao local no dia marcado e foi embora depois sem querer falar com a imprensa.

O resultado saiu e foi confirmado que Lucas era pai de Bia.

Lucas recebeu o resultado na frente de Mayara e contou para a esposa. Mayara olhava o marido sem falar nada e Lucas resolveu assumir que teve uma noite com a mulher, coisa rápida onde tinha certeza que usara camisinha e que não significou nada para ele que nem considerava aquela criança sua filha. Para Lucas seu filho era Jonatan e apenas ele.

Mayara com a mão espalmada pediu que Lucas silenciasse e o rapaz chorando pediu que a esposa lhe perdoasse. Mayara com lágrimas nos olhos, mas firme olhou o marido e disse “acabou”.

Lucas balançava a cabeça em gesto negativo e Mayara respondia que não podia suportar aquilo, uma traição que acabou com uma criança nascendo e que iria embora.

Lucas ajoelhou-se aos pés de Mayara pedindo que ela não fizesse aquilo e ela pediu que ele se levantasse e mantivesse um pouco de dignidade naquela história. Lucas levantou chorando e Mayara contou que subiria para arrumar suas coisas.

Lucas sentou no sofá bebendo uísque enquanto Mayara subiu para arrumar sua mala. Desceu levando Jonatan pela mão e Lucas mais uma vez implorou a mulher para que ficasse.

Mayara da porta olhou para trás, disse “se cuida” para Lucas e foi embora deixando o rapaz com choro compulsivo e arremessando a garrafa de uísque contra a parede.

Lucas bebeu tudo que tinha direito naquele dia. Machucou o nariz de tanto cheirar e de noite ligou para Jonas ordenando que o irmão fosse até a sua casa.

Jonas chegou e perguntou o que o irmão queria. Lucas respondeu que queria ir à Vila Mimosa beber e “pegar umas putas”. Não adiantou Jonas falar ao irmão que tinha compromisso praquela noite. Lucas mandou que ele desmarcasse e lhe acompanhasse.

Lucas e Jonas foram até a Mimosa. Para quem não sabe a Vila Mimosa é um local de prostituição que reúne várias casas e bares onde as moças trabalham.

Ficaram lá bebendo e bancando as prostitutas comprando bebidas e cigarros para elas. Lucas colocava as meninas em seu colo rindo, passando a mão em seus corpos e assim tentava esquecer Mayara.

O rapaz olhou para dentro de uma casa e viu uma mulata que lhe chamou atenção. Viu apenas de costas e se apaixonou por sua bunda. Disse ao irmão que ira atrás da mulata e já voltava.

Lucas apertou a bunda da mulata e perguntou se ela estava sozinha. Quando ela se virou Lucas tomou um susto exclamando “Jussara!!”.

Sim, era Jussara. A viúva de Léo.

Lucas perguntou o que ela fazia lá e Jussara respondeu que o dinheiro deixado por Léo acabou, ela não tinha como sustentar a família e só lhe restou a prostituição.

Lucas abismado escutava a tudo e se lembrava da promessa que fez que não deixaria faltar nada à família do parceiro. Lucas tão preocupado com seu umbigo e sua ambição se esqueceu da família de Léo.

O rapaz pediu desculpas pela negligência e sacou um talão de cheques e uma caneta preenchendo um cheque bem gordo entregando para ela.

Preencheu outro cheque e pediu que entregasse a mãe de Léo.

Saiu da casa falando para Jonas que iriam embora. Jonas perguntou pela mulata e Lucas respondeu que esperava que ela também fosse.

Lucas procurou várias vezes Mayara. Tentou falar com a moça, voltar com ela, mas Mayara não quis receber o rapaz. Lucas ficou depressivo, melancólico nem querendo mais sair de casa apelando cada vez mais para o álcool e as drogas.

Decidiu focar na apresentação pra não enlouquecer.

Ensaiava muito para não pensar. Chegava em casa extenuado e não conseguia dormir se revirando na cama pensando em Mayara. Ligava para a moça de madrugada chorando para pedir que ela voltasse, mas ela nem atendia.

Uma noite Lucas cheirou demais e acabou parando hospital. Wilson conseguiu driblar a imprensa que não soube da internação e conseguiu convencer o rapaz a passar umas semanas em uma clínica de recuperação para limpar o organismo.

Para a imprensa Wilson comunicou que Lucas se internou devido estafa.

Depois de duas semanas o rapaz saiu da clínica e voltou pra casa. Jurema preocupada com o estado de saúde de Lucas decidiu ficar na casa dele até o dia da apresentação no Maracanã cuidando de sua alimentação e horário de sono.

Durante os dias anteriores a apresentação Lucas recebeu notificação do pedido de divórcio de Mayara com audiência marcada para a manhã seguinte do show.

Ensaiou pouco para a apresentação preferindo preservar sua saúde. Aproveitou para compor uma canção em especial para o show.

Na semana do evento pela primeira vez na vida pisou no gramado do Maracanã. 

Foi para tirar fotos promocionais. Lucas embaixo de uma baliza estendeu os braços e pela primeira vez em muito tempo sorria fechando os olhos e se imaginando naquele gramado jogando um clássico e fazendo um gol.

Pegou uma bola, chutou a gol e correu em direção a uma torcida imaginária para delírio dos fotógrafos.

A gravadora perguntou se Lucas tinha algum pedido para os últimos dias antes do show e o rapaz respondeu que queria dormir em um hotel na noite anterior da apresentação e a entrevista coletiva que faria na tarde do show queria que fosse naquele hotel sendo atendido.

Na véspera do show foi com Jurema para o hotel. Na frente dele respirou fundo, deu um beijo na testa da mãe e entrou.

No dia seguinte sentou para a entrevista coletiva e antes da primeira pergunta pediu para fazer um comunicado.

Contou que quando criança passou por muitas dificuldades e as vezes fome como já contara diversas vezes. Teve que trabalhar desde os dez anos de idade e para poder almoçar ficava sentado na calçada de um hotel de luxo que a mãe trabalhava e esperava muito, cheio de fome até que ela tivesse oportunidade de levar uma marmita até ele.

Chorando contou que o hotel era aquele, o Ferraço hotel e agora ele voltava ao hotel como um cantor popular e pôde que sua mãe em vez da cozinha ficasse na melhor suíte do hotel.

Depois chamou sua mãe que apareceu sendo aplaudida por todos. Deu um beijo nela e pediu que se sentasse ao seu lado para assistir a entrevista.    

No meio das entrevistas um repórter perguntou se era verdade o que diziam que ele mudou muito com o passar dos anos e aumento da fama. Que a fama tinha lhe transformado de um menino humilde em um homem pedante e “mascarado”.

Lucas com tranquilidade e sorriso nos lábios respondeu que uma vez fizeram essa pergunta a um de seus maiores ídolos Wilson Simonal e ele deu uma resposta brilhante que era a mesma que ele tinha pra dizer naquele momento.

Respondeu que a fama não lhe deixou mascarado, ele sempre foi.

Antes que fizessem outra pergunta Lucas falou que naquele país um preto que não se chamasse Edson Arantes do Nascimento fazer sucesso era repulsivo e se esse preto fizesse sucesso, ganhasse dinheiro tivesse carrões e saísse com mulheres brancas era ofensa.

E ele era a pior espécie de preto. A que tinha tudo isso e era cabeça pensante, sabia dos seus direitos, deveres e falava em nome de sua raça deixando que ninguém lhe pisasse. Ele não sabia abaixar os olhos com vergonha de sua pele e falar “sim senhor” para tudo. Era uma estrela, referência e muitos brancos não aceitavam isso.

Bebeu um gole de água olhou para os repórteres e rindo falou “vamos gente, próxima pergunta”.

Do lado de fora um menino negro se aproximou de Lucas pedindo um autógrafo e Lucas sorrindo deu. O pai do garoto se pediu que o filho se aproximasse de Lucas para tirar uma foto dos dois juntos.

Lucas abraçou o menino e posou para o pai para tirar a foto quando na hora reconheceu o homem.

Era o policial negro que lhe humilhou na blitz.

Sem reação Lucas forçou um sorriso para que o menino não percebesse e o homem tirou a foto. Depois o policial pediu para uma pessoa próxima tirasse uma foto e se juntou a Lucas e o menino abraçando o cantor.

No fim agradeceu a Lucas, elogiou que era um grande cantor e orgulho e exemplo pra raça negra.

Lucas ficou quieto vendo aquele homem indo embora com o filho feliz por ter pego autógrafo e tirado foto com seu ídolo.

O policial não reconheceu Lucas. Quem apanha é que não esquece.

Voltamos então ao início do livro.

Lucas entrou no palco do Maracanã com uma faixa na cabeça e quando acabou a primeira música contou que era uma homenagem a Wilson Simonal que sempre se apresentava daquela forma. Disse que Simonal foi maior artista negro que o país já teve e foi assassinado moralmente pela sociedade branca, o que é pior que assassinato pra valer.

Cantou “Tributo a Matin Luther King” e no fim levantou o braço, cerrando o pulso imitando o gesto dos “Panteras Negras”.

Lucas cantou maravilhosamente bem comandando e regendo cem mil pessoas. Na hora de apresentar “No Baile” nem precisou cantar. Colocou o microfone no chão e como um maestro regeu o público.

Era sua consagração, o maior artista do Brasil.

Perto do fim do show Lucas pegou um banquinho, um violão e disse que tinha uma música nova para cantar. Uma versão de uma música que ele fez enquanto se internara devido a crise de estafa. Nunca fora gravada, nunca cantou para ninguém, seria a primeira vez.

Disse que era uma canção dos anos oitenta da cantora Nikka Costa chamada “On my own” e fez essa versão pensando em uma pessoa que não estava mais com ele, mas que a amaria para sempre.

Dedicou a Mayara.

DÓ DE MIM (ON MY OWN)

Eu me pergunto aonde estou
Quem sou eu, o que restou
Não é fácil viver assim
Ficar só, ter dó de mim

Sigo vagando em um deserto meu
Sob estrelas e o Sol que nasceu
Ele ao brilhar reflete o meu olhar
Olhar de quem tudo perdeu

Quando estou só lembro você
Fecho meus olhos pra ver você
Oh baby cuida de mim
Baby me proteja de mim
Não quero mais sofrer assim

Preciso tanto sentir você
Toque em mim que vou reviver
Não há luz, a noite é quem conduz
Meus medos nus na escuridão

Canto o amor entre você e eu
Com o final que você escolheu
A canção que o tempo envelheceu
Tem o melhor de mim que já morreu

Quando estou só lembro você
Fecho meus olhos pra ver você
Oh baby cuida de mim
Baby me proteja de mim
Não quero mais sofrer assim

Eu me pergunto, aonde estou
Quem sou eu, o que restou
Eu vou lutar pra nunca mais chorar
Nem ter dó de mim
Nem..ter dó de mim

Ao parar de cantar estava com lágrimas nos olhos e foi muito aplaudido pelo público. Lucas disse “Pra você Mayara” e partiu pra música seguinte.

No fim do show dedicou a Léo e foi ovacionado. Entrou no camarim sobre abraços eufóricos de todos que afirmavam que foi o show de sua vida. Jonas perguntou onde eles iriam comemorar e Lucas respondeu que iria pra casa.

Todos estranharam e Lucas confirmou que iria pra lugar nenhum, iria pra casa porque tinha audiência logo de manhã.

Assim enquanto toda equipe foi comemorar Lucas foi pra casa e ao entrar lembrou-se da música “Bastidores” de Chico Buarque feita especialmente pra Cauby Peixoto que continha os versos “Mas não bisei, voltei correndo ao nosso lar, voltei pra me certificar de que nunca mais vai voltar, vai voltar, vai voltar..”.

No dia seguinte estava cedo no fórum e na sala o juiz deu parabéns a Lucas pelo show e que era seu fã. Lucas agradeceu.

Tudo foi tratado de forma amigável. Lucas deixou a casa pra Mayara e acertou o valor da pensão de Jonatan.

Estavam oficialmente divorciados.

Do lado de fora Lucas abria a porta do carro quando Mayara passou por ele e abriu a porta do seu.

Antes de entrar virou pro agora ex marido e disse que a versão da música de Nikka Costa era linda.

Falou e foi embora.

Lucas ficou lá olhando pro nada e entrou no carro partindo.

Depois de alguns anos ele voltava a praia do Bananal. Olhou a Pedra da Onça, local que ele sempre ia quando queria pensar e onde começou seu amor com Mayara.

Sentou-se no lugar que sempre sentava. Sentou para pensar na vida e no que acabara de perder.








Nenhum comentário:

Postar um comentário