quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Capítulo XV - O caso Wilson

Lucas voltou para casa triste por tudo que passara com Mayara nem conseguindo lembrar que na noite anterior fizera um show antológico no Maracanã. Nada daquilo parecia importar, a impressão que dava é que a preparação para o show é que dava forças para Lucas viver.

Mas agora não tinha mais o show.

Chegou em casa e encontrou Jonas e Rubens com jeito sério lhe esperando. O rapaz perguntou o que acontecia e Jonas respondeu ao irmão que Rubens queria falar com ele.

Lucas preocupado pediu que os dois se sentassem e perguntou a Rubens qual era o problema, se tinha a ver com Jéssica ou Sophia.

Rubens respondeu que não, o problema era com ele mesmo.

Abriu uma pasta com documentos e pediu que Lucas lesse. O rapaz pegou os documentos leu por um tempo e disse que não entendia nada do que estava escrito ali. Rubens então explicou que Lucas estava falido.

Lucas levantou-se assustado e perguntou como poderia estar falido se fazia mais de trinta shows por mês, era o maior vendedor de CDs do Brasil e tinha um contrato milionário de publicidade.

Rubens respondeu que os dados estavam todos ali. Lucas além de ter pouco diheiro no banco ainda tinha dívidas como prestações da Ferrari e fornecedores do restaurante.                       

Lucas estarrecido voltou a sentar no sofá perguntando como aquilo poderia ter ocorrido. Jonas na mesma hora falou o nome “Wilson Mendes”. Lucas respondeu que era evidente que Wilson tinha algo a ver, era seu procurador.

Rubens respondeu que sim, Wilson poderia ter empregado mal seu dinheiro e Lucas gritou que não, o empresário lhe roubou mesmo.

Rubens tentou argumentar que podia não se roubo, mas Lucas não queria dar ouvidos  já colocara na cabeça que o empresário lhe roubara e que aquela história não ficaria assim.

Ligou para Mariano e contou que precisava dele. O irmão mandou que ele subisse o morro para conversarem.

Rubens pediu que Lucas se acalmasse e o rapaz respondeu que não, que trataria de seu modo.

Lucas foi ao Dendê e contou a Mariano toda a história. No fim o traficante perguntou o que Lucas queria e ele respondeu “meu dinheiro de volta”.
Mariano respondeu que tudo bem, daria um jeito nisso.

Lucas passou todos os hábitos de Wilson para Mariano e o endereço de sua casa. Uma noite Wilson atendeu a porta e tinha dois homens que contaram querer falar com o empresário e se poderiam entrar. Wilson desconfiado respondeu que não os conhecia e perguntou o que eles queriam.

Um dos homens apontou arma para Wilson e mandou que ele lhes acompanhasse.

A mulher de Wilson viu a situação e começou a gritar. O empresário mandou que ela se acalmasse que tudo ficaria bem e foi levado pelos bandidos.

No alto do morro foi amarrado dentro de um barraco em uma cadeira e reconheceu Mariano como irmão de Lucas perguntando o que queria com ele. 

Mariano respondeu que ele não queria nada, mas seu irmão sim.

Lucas apareceu e Wilson perguntou que palhaçada era aquela. Lucas pegou Wilson pelo colarinho da blusa e perguntou onde estava seu dinheiro. Wilson perguntou “que dinheiro” e Lucas deu um soco na cara do empresário.

Wilson sangrando perguntou o que acontecia e Lucas jogou alguns papéis em cima do empresário que lhe perguntou o que era aquilo. Lucas respondeu que eram documentos que provavam que ele estava falido e queria saber onde parou o seu dinheiro.

Wilson gritava que não sabia de dinheiro nenhum e Lucas lhe deu outro soco lembrando que o empresário era seu procurador e o responsável pelo seu dinheiro então tinha que dar explicações.

O empresário chorando falava que Lucas gastou o dinheiro com bebidas, drogas e seu jeito irresponsável de gastar como se não tivesse amanhã comprando até uma Ferrari sem saber se tinha condições para isso.

Lucas gritava que era mentira, o empresário lhe roubara e Wilson respondia que ele tinha gastado.

Lucas respondeu que desistia e chamou Mariano. Mariano entrou e Lucas contou que Wilson não queria falar e era com eles agora. Mariano mandou que seus comandados entrassem e desamarrassem Wilson.

Eles desamarraram e começaram a bater em Wilson enquanto Lucas e Mariano saíram do barraco.

Mariano perguntou ao irmão se era pra matar o empresário e Lucas na hora respondeu “evidente que não” e que só queria seu dinheiro de volta, a morte de ninguém.

Mariano então perguntou o que faria se o empresário não falasse. Lucas respondeu que ele falaria, não seria burro.

Lucas foi embora do morro e deixou Wilson lá sendo espancado e torturado pelos traficantes. Wilson apanhou muito, sofreu horrores por toda madrugada e manteve a postura de falar que não roubara nada de Lucas.

Uma hora Mariano não aguentava mais e mandou que os homens que sequestraram Wilson buscassem sua mulher e seus filhos. Nesse momento Wilson desesperado gritou para que não fizessem que ele contaria.

Mariano mandou que os homens esperassem e olhou para Wilson. O empresário pediu até a noite para entregar o dinheiro a Lucas. Mariano pensou e concordou marcando pra oito da noite ali mesmo na favela para que Wilson entregasse o dinhero.

O empresário foi libertado, mas não foi pra casa. Foi direto para delegacia contar que fora sequestrado e espancado por Mariano e Lucas Violi.

A notícia logo explodiu e Lucas foi acordado com a polícia na sua porta pedindo que ele acompanhasse até a delegacia para prestar esclarecimentos sobre um possível sequestro.

Lucas se vestiu e acompanhou os policiais. Na frente da delegacia toda a imprensa já estava presente e Lucas com a empáfia de uma grande estrela disse que não era nada e que quando saísse falaria dos preparativos para o novo cd.

Entrou na sala do delegado pensando que seria tratado como um astro como todos se acostumaram a lhe tratar e foi se assustando na medida em que percebeu que lhe tratavam como suspeito de um crime.

Prestou depoimento por horas e neste contou que não tinha nada a ver com o sequestro de Wilson. Declarou que demitira o empresário por desentendimentos e que ele devia ao tráfico. Foi sequestrado por seu irmão e resolveu se vingar colocando seu nome no meio.

Por falta de provas Lucas foi liberado.

Na saída da delegacia a imprensa cercou Lucas e ele não mostrava mais a mesma confiança de quando entrou. A imprensa queria saber o que ocorria e Lucas com semblante fechado respondeu que a verdade viria a tona e ele era inocente.

Mas o que surgiu a tona foi um grande escândalo. Lucas parava em todo noticiário suspeito de sequestro. Wilson Mendes não cansava de dar entrevistas contando sua versão enquanto Lucas recluso adotava o silêncio.

Por ser um artista famoso Lucas se achava acima do bem e do mal. Pensava que poderia fazer o que quisesse e com aquele pensamento sequestrou Wilson, só que se metera em uma grande enrascada. Além de falido agora corria risco de ser preso.

Os patrocinadores exigiam que Lucas aparecesse e contasse sua versão. Lucas estava ameaçado de perder os patrocínios e naquele momento que precisava de dinheiro seria péssimo.

Lucas convocou a imprensa para contar sua versão. Passou toda a história que declarou na delegacia e que estava tranquilo. Não era bandido e veio de baixo para alcançar todos os seus sonhos sem passar por cima de ninguém nem da lei.

Mais uma vez apelou para o racismo dizendo que se sentia perseguido em seu próprio país por ser preto e vir de favela.

Mas a fase não estava boa.

Jonas assumiu como seu empresário e cancelou agenda de shows de Lucas para que ele pudesse se defender. Lucas foi obrigado a devolver a Ferrari e vender mais dois carros para que pagasse dívidas mais urgentes. Mayara vendo a situação de seu ex lhe procurou e ofereceu que vendessem a casa e dividissem o dinheiro para que ele não ficasse tão apertado.

Venderam a casa e Lucas também vendeu o estúdio que tinha com Jonas.
Quando a situação parecia amenizar e Lucas voltava a fazer shows ganhando dinheiro e diminuindo sua crise financeira o rapaz foi a uma boate da zona Sul do Rio se divertir.

Saiu de lá bêbado e com três mulheres. Entraram no carro e Lucas acelerou fazendo miséria pela cidade até que bateu em um poste.

Uma das mulheres estava presa nas ferragens e rapidamente chegaram ambulância, bombeiros e carro da polícia. Lucas teve apenas um ferimento na testa e as outras duas mulheres arranhões. A situação mais séria era da que estava presa.

Lucas se recusou a fazer o teste do bafômetro e a polícia revistou seu carro achando uma trouxinha de cocaína perto do volante. Lucas tentou argumentar, mas foram todos levados para delegacia.

Lá Lucas prestou depoimento contando que a droga não era dele. Nenhum dos envolvidos assumiu que era dono da cocaína.

Lucas deu sorte que a mulher presa nas ferragens foi internada, mas teve nada de grave sendo liberada dois dias depois.

Mas deu azar por ela ser menor de idade, apenas dezesseis anos.

Com o passar dos dias uma das mulheres assumiu ser dona da cocaína e pelo menos esse problema saiu das costas de Lucas. Jonas negociara com essa mulher para que assumisse a posse da droga e em troca ela recebeu uma boa quantia financeira. 

Mas a casa de Lucas caía. A imagem de bom moço ruíra em poucos meses. 

Lucas virou capa se uma famosa revista semanal mais voltada paraa política. A capa era o rosto de Lucas e a manchete “O que acontece com Lucas Violi?”. 

Lucas começou a perder patrocinadores e a fundação a perder investidores.

O problema da fundação chegou ao ponto de Mariano ter que assumir todo o investimento financeiro do projeto.

Lucas passou de bom moço e referência para todo garoto pobre a “bad boy”. Analistas lembravam a aproximação que o cantor sempre teve com jogadores de futebol “bad boys” para mostrar que o rapaz pode ter sido influcenciado por eles.

Mas o público não ligava para o que a imprensa dizia e continuava amando o rapaz. O ritmo de shows do cantor prosseguia intenso fazendo apresentações pelo Brasil inteiro. Sair do Rio de Janeiro era um alívio para Lucas que assim saía do “olho do furacão”.

E a gravadora já pensava em um novo cd e pedia que Lucas se apressasse na criação das canções. Os executivos achavam que com um novo esqueciam seus problemas.

Lucas tentava melhorar sua imagem colando com a da fundação. Tempo que ele não aparecia no local e ele começou a ir frequentemente e gravou comercial para televisão onde pedia doações para o projeto e contava tudo que a fundação já tinha feito de bom nos últimos anos.

Colou sua imagem na da mãe também. Jurema tinha o sonho de um dia lançar um cd cantando músicas de ídolos seus como Cauby Peixoto, Ângela Maria e Agnaldo Timóteo. Lucas decidiu bancar o projeto e junto com sua gravadora acertou a gravação do cd.

Lucas foi o produtor e orgulhoso via sua mãe no aquário gravando e realizando seu sonho. Contratou DJ Mustang para ajudá-lo no projeto, mas mesmo o homem alegando sua praia ser funk e ter nada a ver com aquele estilo topou ajudar seu antigo pupilo.

Mustang e Lucas produziram um cd de ótima qualidade e Jurema provou ter talento com a voz doce. Lucas decidiu fazer outra surpresa e alugou uma casa de shows para que ela se apresentasse.

Jurema se apresentou em uma casa no centro da cidade embaixo de muita emoção. No início do show com lágrimas nos olhos agradeceu ao filho por aquele presente. Era um sonho que realizava graças a ele que sempre foi seu orgulho e um ótimo menino.

No fim disse que conhecia seu menino melhor que a imprensa e eles não sabiam o que falavam sendo aplaudida por todos.

Cantou as músicas sob os olhos orgulhosos e comovidos de Lucas, Jonas e Jéssica. No fim pediu que os três subissem ao palco.

Os filhos subiram e Jurema pediu que eles cantassem a última música com ela. Eles pegaram os microfones e cantaram “Emoções” de Roberto Carlos com a mãe.

Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi...

..e ela viveu muitas.

E parecia que Jurema precisava disso para se despedir da vida.

Na semana seguinte quando deixava o palco de um show em Minas Gerais Lucas foi surpreendido com telefonema do Rio dizendo que a mãe fora internada.

Conseguiu fretar um jatinho e voltar ao Rio de Janeiro. Na cidade descobriu que um aneurisma havia se rompido, Jurema fora internada em estrado gravíssimo e passava por uma cirurgia naquele momento.

Jurema lutou pela vida por uma semana até que não resistiu e morreu.

Lucas no enterro parecia aéreo, perdido. A mãe sempre foi sua referência, a força da família. A mulher guerreira que sustentou a casa sozinha enquanto o pai sonhava, nunca deixou que lhe faltasse nada, sobretudo amor.

Lucas sentado virado de frente ao caixão só conseguia chorar e agradecer por tudo que a mãe fizera por ele, por todo o apoio que sempre deu a seus sonhos e se perguntava como conseguiria viver sem ela.

Naquele momento sentiu uma mão em seu ombro e quando olhou para trás pra ver quem era percebeu que era Mayara.

Levantou e deu um abraço apertado em sua ex mulher perguntando como poderia viver sem sua mãe. Mayara mandou que Lucas se acalmasse e que ele tinha a Jonatan ainda e a Bia.

Sim, Bia. A filha que Lucas foi obrigado a reconhecer, mas nunca quis nem olhar a menina. Até aquele momento Lucas não conhecera sua filha.

Jurema foi enterrada e a impessão era que Lucas foi enterrado junto. Parecia que Jurema era seu alicerce, a única ainda que lhe segurava e não deixava fazer besteiras.

No castelo de cartas que era Lucas Jurema era a base e sem ela o castelo desmoronava.

Lucas piorava. Não passava mais nem um dia sem usar drogas e quase todos os dias saía de casa para noitadas só voltando de manhã.

Era pressionado pela gravadora, mas não escrevia alegando estar sem inspiração.

Chegou a faltar shows trazendo problemas para si com alguns processos na justiça e sendo obrigado a ressarcir contratantes. A situação financeira de Lucas que não era boa piorava.

Uma noite estava com Jonas e algumas mulheres bebendo em um bar da Lapa. Bebendo era pouco Lucas estava completamente bêbado mal conseguindo parar em pé e mandando que o garçom trouxesse mais bebida.

Jonas pedia ao irmão para que parassem, pois, ele não aguentava mais beber e Lucas respondia que o irmão era fraco.

Lucas olhou para o lado e percebeu Wilson Mendes entrando no bar com a sua esposa. Gritou “filho da puta” e se levantou.

Jonas perguntou aonde o irmão ia e depois reparou que Wilson estava presente correndo atrás do irmão.  

Lucas empurrou Wilson falando que agora era só entre os dois e não tinha “viadagem” de procurar polícia. Wilson respondeu que o rapaz estava bêbado e drogado e devia se tratar.

Lucas furioso pegou Wilson pelo colarinho da blusa chamando de ladrão e pedindo seu dinheiro de volta e Wilson chamou Lucas de bandido e drogado.

Depois dos “elogios” começaram a se socar até a polícia apartar. Naquele momento Lucas gritou para que todos ouvissem que mataria Wilson.

Wilson e Lucas foram para delegacia. Um prestou queixa do outro e foram liberados.

Dois dias depois Lucas chegou em casa depois de passar a noite cheirando no Dendê. Ligou a televisão e viu a notícia bombástica no telejornal.

Wilson Mendes fora assassinado.   








Nenhum comentário:

Postar um comentário