sexta-feira, 13 de abril de 2018

TROCANDO EM VERSOS: ESSA FELICIDADE



Eu abro a janela
E me encosto no parapeito
São três da manhã
E a madrugada me sufoca o peito
Mas não é enfarte, nem ele quer a mim
Solitária a rua me vê
Calçadas e postes tentam entender
O que quero ali, eu também não sei

Poderia me jogar daquela janela
A notícia da minha morte chegaria nela
Mas do que adiantaria no fim ela saber
Provavelmente pediria a Deus pra me absolver
Mas se quero o perdão, eu também não sei

Melhor acender um cigarro
A nicotina me deixa mais forte
No espelho a fumaça me esconde 
Covarde, eu sei

Os dedos das minhas mãos são amarelos
O sorriso que escondo do rosto é amarelo
Sorriso sem graça de quem não quer sorrir
Será que ela já tem outro alguém
Que lhe dê todo amor que um dia eu dei

A chuva molhando meu rosto
A janela que não vou fechar
Enchente que teima em me
Inundar

Felicidade pra mim é morrer
De amor por quem me fez tanto bem
Cadê essa felicidade
Que não vem

TROCANDO EM VERSOS ANTERIOR:

MEU FINAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário