quarta-feira, 15 de março de 2017

CINEBLOG: ROCKY: UM LUTADOR


Cineblog inicia a temporada 2017 falando de um grande filme, um filme que fez história, transformou Sylvester Stallone em um mito e desencadeou uma das maiores franquias da história do cinema levando Stallone ao Hall da fama do boxe e a ter uma estátua na frente da Universidade da Filadélfia onde foi rodada a lendária cena dele subindo a escadaria. Sim, sou um grande fã de Rocky, sua trilha sonora poderosa, cenas icônicas e o ideal de superação, que o mais fraco pode sim se transformar no mais forte através da garra e do coração.

Cineblog orgulhosamente apresenta no corner à esquerda.


Rocky: Um lutador



Rocky (Rocky: Um Lutador (título no Brasil) ou Rocky (título em Portugal)) é um filme norte-americano de 1976, do gênero drama, escrito e estrelado por Sylvester Stallone, e dirigido por John G. Avildsen.

É o primeiro de uma série de sete filmes protagonizados pelo personagem Rocky Balboa. Os demais são Rocky 2 (1979), Rocky 3 (1982), Rocky 4 (1985), Rocky 5 (1990), Rocky Balboa (2006) e Creed (2015). Este último, "Creed" é um spin-off da série.

Rocky é um desconhecido boxeador da Filadélfia que complementa sua renda como coletor a um agiota. Nesta cidade ocorrerá a disputa pelo campeonato mundial de pesos pesados está marcada para o dia de Ano Novo de 1976, o ano do bicentenário da Declaração da Independência dos Estados Unidos. Porém, o desafiante do campeão Apollo Creed se machuca, e o promotor Jergens encontra dificuldades de encontrar outro oponente. Creed apresenta a ideia incomum de lutar contra um lutador local, de origem italiana: sua escolha recai em Rocky, apelidado Rocky, The Italian Stallion (O Garanhão Italiano), imaginando ser um grande apelo para a mídia.

Ao mesmo tempo envolve-se romanticamente com Adrian, a irmã tímida de seu amigo Paulie, um trabalhador de frigorífico. Rocky treina na academia de Mickey, um ex-lutador, que duvida de sua capacidade - que chega ao ponto de remover seus pertences do armário para passa-lo a outro. Porém, após o anúncio que ele lutará contra o campeão, Mickey oferece-se para treina-lo.

Passa a treinar intensamente, inclusive socos nas carcaças penduradas na câmara fria de Paulie. Creed inicialmente não leva a luta a sério, mas Rocky inesperadamente derruba-o no primeiro assalto. A luta torna-se intensa, com cada lutador sofrendo grandes machucados. Ao fim da luta Creed fala a Rocky que não haverá revanche e este responde que não quer e chama por Adrian, que corre até o ringue. Apollo Creed é anunciado como vencedor por uma decisão apertada dos árbitros.


Elenco



Sylvester Stallone – Rocky Balboa
Talia Shire – Adrian
Burt Young – Paulie
Carl Weathers – Apollo Creed
Burgess Meredith – Mickey, treinador de Rocky
Thayer David George – Jergens, promotor
Joe Spinell – Gazzo
Jimmy Gambina – Mike
Bill Baldwin – comentarista da luta final
Tony Burton – treinador de Apollo
Jodi Letizia – Marie
Joe Frazier – ele mesmo


Montagem do elenco



A família de Sylvester Stallone participou em peso: seu pai Frank atuou como cronometrista - o homem do gongo, seu irmão Frank Stallone Jr. como um dos cantores de rua, assim como seu cão na vida real, o bulmastife Butkus. Cher e Susan Sarandon foram consideradas para o papel de Adrian. A United Artists desejava atores de renome para o personagem Rocky mas Stallone impôs sua vontade de desempenha-lo. No entanto, o estúdio diminuiu o orçamento pela metade.


Produção



Stallone escreveu a primeira versão do roteiro em trinta e três dias. O filme foi gravado na Filadélfia e principalmente na Califórnia. As cenas no rinque de patinação ocorreram em Santa Mônica. Já o interior do estádio da luta final foi no Los Angeles Memorial Sports Arena em lugar da Arena Spectrum retratada no filme. As cenas de Rocky subindo a escadaria do Museu de Arte de Filadélfia, chamada de Degraus de Rocky tornou-se célebre. As duas cenas, uma quando sobe bastante cansado, e a outra triunfante, foram gravadas num intervalo de duas horas.


Trilha Sonora



Bill Conti compôs a trilha sonora e o tema principal do filme, "Gonna Fly Now" com letra de Carol Connors e Ayn Robbins. A canção foi indicada ao Oscar 1977 e ficou no topo das paradas da revista Billboard na primeira semana de julho de 1977. Conti também compôs a trilha sonora do restante da franquia, exceto em Rocky IV.


Principais prêmios e indicações



Oscar 1977 (EUA)

Melhor filme Venceu
Melhor diretor John G. Avildsen Venceu
Melhor ator Sylvester Stallone Indicado
Melhor atriz Talia Shire Indicado
Melhor ator coadjuvante Burgess Meredith Indicado
Burt Young Indicado
Melhor roteiro original Sylvester Stallone Indicado
Melhor edição Richard Halsey e Scott Conrad Venceu
Melhor mixagem de som Harry W. Tetrick, William McCaughey, Lyle J. Burbridge e Bud Alper Indicado
Melhor canção original "Gonna Fly Now" – Bill Conti, Carol Connors e Ayn Robbins Indicado

Globo de Ouro 1977 (EUA)

Melhor Filme - Drama Venceu
Melhor Diretor John G. Avildsen Indicado
Melhor Ator - Drama Sylvester Stallone Indicado
Melhor Atriz - Drama Talia Shire Indicado
Melhor Roteiro Sylvester Stallone Indicado
Melhor Trilha Sonora Bill Conti Indicado.

BAFTA 1978 (Reino Unido)

Melhor Filme Indicado
Melhor Diretor John G. Avildsen Indicado
Melhor Ator Sylvester Stallone Indicado
Melhor Roteiro Original Indicado
Melhor Edição Richard Halsey & Scott Conrad Indicado

Prêmio David di Donatello 1977 (Itália)

Venceu na categoria de melhor ator estrangeiro (Sylvester Stallone).

Academia Japonesa de Cinema 1978 (Japão)

Venceu na categoria de melhor filme estrangeiro.

Prêmio NYFCC 1977 (New York Film Critics Circle Awards, EUA)

Venceu na categoria de melhor atriz coadjuvante (Talia Shire).


Em duas semanas voltamos com um clássico da pornochanchada brasileira. "O bem dotado homem de Itu"


CINEBLOG ANTERIOR:

O GAROTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário