quarta-feira, 29 de março de 2017

TROCANDO EM ARTES: VALE TUDO


A "Trocando em artes" volta hoje com uma novela que fez enorme sucesso nos anos 80 e continua atual até hoje. Mostra a tua cara Brasil!!

Trocando em artes orgulhosamente apresenta:


Vale Tudo



Vale Tudo é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida originalmente de 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989, no horário das 20h, substituindo Mandala e sendo substituída por O Salvador da Pátria, tendo 203 capítulos originais. Foi a 39ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, com direção de Dennis Carvalho e Ricardo Waddington, com direção geral de Dennis Carvalho. A trama abordou, segundo um de seus autores, Gilberto Braga, "até que ponto valia ser honesto no Brasil", na época de sua exibição.

Contou com as participações de Regina Duarte, Glória Pires, Sebastião Vasconcelos, Daniel Filho, Antônio Fagundes, Cláudio Corrêa e Castro, Íris Bruzzi e Cássia Kiss.

Em 2016, Vale Tudo foi eleita (junto com Avenida Brasil) pela revista Veja a "Melhor Telenovela Brasileira" de todos os tempos.


Produção



A telenovela teve como título provisório o nome Pátria Amada ou Bufunfa. No dia de sua estreia, as personagens da então novela das 19h, Sassaricando, comentavam sobre o primeiro capítulo de Vale Tudo. Na ocasião, Lucrécia, personagem de Maria Alice Vergueiro, dizia para a sobrinha Camila, personagem de Maitê Proença, que não queria perder o primeiro capítulo da novela de Gilberto Braga, seu autor preferido.

Também foi a primeira novela dos atores Marcello Novaes e Flávia Monteiro.


Exibição



Foi reapresentada pelo Vale a Pena Ver de Novo, entre 11 de maio a 6 de novembro de 1992, tendo 130 capítulos, substituindo Fera Radical e sendo substituída por Bebê a Bordo.

Foi novamente reapresentada pelo Canal Viva, entre 4 de outubro de 2010 a 13 de julho de 2011, de segunda a sexta às 0h45, e também em horário alternativo às 12h, sendo substituída por Roque Santeiro.


Enredo



Raquel Accioli está separada de seu marido, Rubinho, há cerca de dez anos, época em que, depois de uma violenta discussão, ela decidiu abandoná-lo e ir viver com a filha, a ambiciosa Maria de Fátima, na casa do pai, Salvador, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O único bem da família é uma casa modesta que Salvador passou para o nome da neta, de modo que, quando este morresse, nada lhe faltasse. Raquel vive como guia de turismo e, quando Salvador morre, Fátima, sem dizer nada à mãe, vende a casa e parte para o Rio de Janeiro em busca de ganhar a vida, não importando como. No Rio ela se envolve com César Ribeiro, um ex-modelo que teve o mundo das passarelas literalmente a seus pés, e que atua como garoto de programa. Raquel parte para o Rio à procura da filha. Maria de Fátima é apresentada por César a Solange Duprat, produtora de moda da revista Tomorrow, passando a atuar como modelo e a morar na casa de Solange, e usa Solange para se aproximar de Afonso Roitman, namorado da jornalista, e se casar com ele.

A trama passa então a mostrar a dualidade: Maria de Fátima buscando ficar rica com o casamento arranjado, enquanto Raquel, vendendo sanduíches na praia, acaba subindo na vida e, de maneira honesta, vira dona de uma rede de restaurantes industriais. Raquel inicia um namoro com Ivan Meireles, porém ele acaba se casando com Heleninha Roitman, o que opõe Raquel a Odete Roitman, já que esta quer afastar, de qualquer forma, Raquel de Ivan. Como o casal acaba se reaproximando, Odete dá sua última cartada: manda Ivan subornar um agente da alfândega brasileira para liberar equipamentos retidos, só que a empresária filma a cena e passa a chantagear Raquel e Ivan, o qual acaba sendo preso por corrupção.

Paralelamente, outros temas foram abordados:

A pintora Heleninha Roitman (Renata Sorrah), filha de Odete, luta contra o alcoolismo e conhece o amor com William (Dennis Carvalho), que a encaminha aos Alcoólicos Anônimos para livrar-se do vício.

Bartolomeu (Cláudio Corrêa e Castro), pai de Ivan, fica desempregado, e tem dificuldade em arranjar emprego por não saber utilizar computador.

Ivan (Antônio Fagundes), ao perder o emprego na empresa de Odete, passa a ser subgerente de um hotel graças às influências de Odete Roitman que não permite que ele consiga outro emprego no ramo da aviação.

Marco Aurélio (Reginaldo Faria), vice-presidente da empresa de aviação de Odete Roitman, a TCA, comete diversas irregularidades e desvia o dinheiro da empresa para a sua própria conta.

A irmã de Marco Aurélio tem um caso com outra mulher.

À época, considerava-se que devido a polêmica acerca das personagens homossexuais, Gilberto Braga teve de eliminar da trama a irmã de Marco Aurélio, Cecília (Lala Deheinzelin). Mas segundo a atriz Cristina Prochaska, a morte da personagem já estava prevista por o autor.

Tiago (Fábio Villa Verde), o filho de Marco Aurélio, é tímido, virgem, não tem namorada e seu pai desconfia de que seja homossexual, pois ele fica ouvindo música clássica com seu amigo André (Marcello Novaes) no quarto.

No último capítulo, Marco Aurélio foge do país com a mulher Leila e dá uma "banana" para o Brasil de dentro da cabine de seu jatinho.


Quem matou Odete Roitman?



No capítulo 193, que foi ao ar no dia 24 de dezembro de 1988, sábado, véspera de Natal, a vilã Odete Roitman (Beatriz Segall) foi assassinada com 3 tiros. Apesar do mistério do assassino ter durado apenas 13 dias, o assunto dominou as conversas pelo país, lançando a pergunta "Quem matou Odete Roitman?".

No último capítulo, revela-se que Odete Roitman (Beatriz Segall) havia sido morta, por engano, por Leila (Cássia Kiss), que pensa estar atirando em Maria de Fátima (Glória Pires), a qual havia se tornado amante de seu marido, Marco Aurélio (Reginaldo Faria), ex-genro de Odete. A cena do disparo foi gravada no dia em que o último capítulo foi ao ar. A identidade do assassino foi revelada na sexta-feira, dia 6 de janeiro de 1989, nem os próprios atores tiveram acesso ao verdadeiro final, que foi gravado em cinco versões diferentes.


Repercussão



Na época, o bordão O sangue de Jesus tem poder falado por Raquel (Regina Duarte) virou marca da sua personagem. O maior destaque da trama foi Odete Roitman, interpretada pela atriz Beatriz Segall, considerada a maior vilã da história da teledramaturgia. Outro destaque foi Glória Pires interpretando Maria De Fátima, sendo considerada uma das maiores vilãs de todos os tempos, também eleita "a filha mais ingrata da TV", que chegou a vender seu próprio filho e deixar sua mãe no olho da rua. Renata Sorrah interpretou uma das personagens mais populares de sua carreira: a alcoólatra Heleninha Roitman. O nome da personagem virou referência para quem bebia demais.

Vale Tudo é marcada por várias cenas antológicas, como a cena do primeiro capítulo, em que Raquel, personagem de Regina Duarte descobre que a filha, Maria de Fátima, personagem de Glória Pires, vendeu a casa e sumiu com o dinheiro; a cena do capítulo 14, no ar em 31 de maio de 1988 em que Fátima encontra Raquel vendendo sanduíche na praia; a cena em que Raquel rasga o vestido de noiva de Fátima quando ela se casa com Afonso, personagem de Cássio Gabus Mendes; a cena em que Fátima rola as escadarias do Teatro Municipal; o acerto de contas entre Fátima e a jornalista Solange, personagem de Lídia Brondi, quando esta descobre a traição do marido Afonso. Bem como o acerto de contas entre Fátima e Afonso, quando este descobre a traição de Fátima com o bon vivant César, personagem de Carlos Alberto Riccelli, além das cenas de barraco homéricas protagonizadas por Heleninha Roitman, personagem de Renata Sorrah. E as cenas finais do último capítulo, quando Leila, personagem de Cássia Kiss, revela ser a assassina de Odete Roitman, personagem de Beatriz Segall. E Marco Aurélio, personagem de Reginaldo Faria, deixando o país, dando uma banana para o Brasil.


Elenco



Regina Duarte                Raquel Accioli
Glória Pires                Maria de Fátima Accioli
Beatriz Segall                Odete de Almeida Roitman
Antônio Fagundes         Ivan Meireles
Carlos Alberto Riccelli César Ribeiro
Renata Sorrah                 Helena de Almeida Roitman (Heleninha)
Cássio Gabus Mendes Afonso de Almeida Roitman
Lídia Brondi                 Solange Duprat
Reginaldo Faria                 Marco Aurélio Cantanhede
Cássia Kiss                 Leila Cantanhede
Pedro Paulo Rangel   Aldálio Candeias (Poliana)
Nathalia Timberg         Celina Junqueira
Cláudio Corrêa e Castro Bartolomeu Meireles
Daniel Filho                 Rubens (Rubinho)
Lília Cabral                 Aldeíde Candeias
Adriano Reys                 Renato Filipelli
Sérgio Mamberti         Eugênio
Íris Bruzzi                         Eunice Meireles
Carlos Gregório        Gerson
Cristina Prochaska         Laís
Lala Deheinzelin        Cecília Cantanhede
Stepan Nercessian         Jarbas
Rosane Gofman        Consuelo
Fábio Villa Verde        Thiago Augusto Roitman Cantanhede
Paula Lavigne                Daniela
Marcos Palmeira        Mário Sérgio
Zeni Pereira                Maria José
Maria Gladys                Lucimar da Silva
João Camargo                Freitas
Lourdes Mayer           Dona Pequenina
Otávio Müller               Sardinha
Cristina Galvão                Íris
Marcello Novaes       André
Flávia Monteiro       Fernanda
Rita Mallot               Marieta
Fernando Almeida       Hermenegildo (Gildo)
Renata Castro Barbosa Flávia
Danton Mello                 Bruno Meireles
Paulo Reis                 Olavo
Soraya Ravenle           Ângela
Nara de Abreu                 Deise
Jairo Lourenço                 Luciano


Prêmios



Troféu APCA (1988)

Melhor Novela - Vale Tudo
Melhor Atriz - Glória Pires
Melhor Ator Coadjuvante - Sérgio Mamberti
Revelação Masculina - Paulo Reis

Troféu Imprensa (1988)

Melhor Novela - Vale Tudo
Melhor Atriz - Beatriz Segall


"Trocando em artes" volta em duas semanas trazendo "Hamlet".



TROCANDO EM ARTES ANTERIOR:

DONA CAROLA

Nenhum comentário:

Postar um comentário