quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O CLUBE DOS 23: NÁUTICO




Hoje se inicia uma nova série no blog e ela se chama “O clube dos 23”. Essa série mostrará a cada semana a história de todos os times que fazem parte hoje da primeira divisão do futebol brasileiro mais Palmeiras, Bangu e América. A história será contada em texto, fotos e vídeos começando pelo Náutico.

O Clube Náutico Capibaribe, mais conhecido como Náutico, é um clube multidesportivo brasileiro da cidade do Recife, estado de Pernambuco. Fundado por dois grupos de remadores recifenses em 1898 como Club Náutico do Recife, tem como data de fundação oficial 7 de abril de 1901 (data da primeira ata da agremiação) e teve seu primeiro time de futebol em 1905, formado por ingleses e alemães. As cores do clube, presentes no escudo e bandeira oficial, são o vermelho e branco. Seus torcedores são conhecidos como alvirrubros.

Um dos mais antigos e tradicionais clubes do Brasil, é o mais antigo do seu estado e detém a segunda maior torcida de Pernambuco e a quarta maior do Nordeste, conforme pesquisa do Instituto Datafolha de 2010. É o clube mais valioso de Pernambuco, de acordo com estudo da Pluri Consultoria em 2013. É considerado o clube das colônias inglesa e alemã da cidade, daí o fato de o Náutico ficar conhecido primeiramente como "clube dos ricos" e "clube aristocrático", o que até hoje se manifesta pelo fato de ter a grande maioria da elite econômica-social do estado como parte importante de sua torcida. 

Não obstante, com os títulos e glórias conquistados a partir dos anos 1960, considerada a década de ouro do clube, o Náutico começou a receber adesão cada vez mais forte das classes populares do Recife e do estado, tendo hoje uma torcida bastante popular e diversificada.

Foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro, em 1967, e semifinalista em 1961, 1965, 1966 e 1968. Foi um dos dois representantes do Brasil na Copa Libertadores da América de 1968, junto com o Palmeiras. Detém seis títulos regionais - é tricampeão do Norte-Nordeste (1965, 1966 e 1967) e campeão do Torneio dos Campeões do Norte-Nordeste (1952), do Torneio Pentagonal dos Campeões do Norte-Nordeste (1966) e do Campeonato dos Campeões do Norte-Nordeste (1966).

Possui 21 títulos de campeão estadual, o primeiro conquistado em 1934 e o mais recente em 2004, tendo conquistado, em 1951, o título de campeão no seu cinquentenário e, em 2001, o de campeão no ano do seu centenário, feito único em seu estado. É o único clube hexacampeão pernambucano: 63, 64, 65, 66, 67 e 68. A contar com 2013, é o segundo clube do Norte-Nordeste com mais participações na divisão principal do Campeonato Brasileiro: 35.

Em Pernambuco, foi o primeiro clube a disputar uma final de Campeonato Brasileiro e a disputar a principal competição do continente, a Copa Libertadores da América. Em cinco oportunidades terminou o Campeonato Brasileiro entre os quatro primeiros colocados, sendo este o recorde entre os times do Norte-Nordeste, ao lado do Bahia.

O Náutico é proprietário do Estádio Eládio de Barros Carvalho, mais conhecido como Estádio dos Aflitos, por localizar-se no bairro dos Aflitos. A capacidade da praça de esportes atualmente é de 22.800 mil espectadores sentados. Também lhe pertence o Centro de Treinamento Wilson Campos - o maior e em melhores situações do Norte-Nordeste do país - situado no bairro da Guabiraba, no Recife, que possui 49 hectares e conta com quatro campos oficiais e dois campos de futebol de dimensão reduzidas, área para administração, vestiários, alojamentos etc. É dono de uma garagem para remo, situada na Rua da Aurora, no bairro de Santo Amaro.

O clube tem uma rivalidade histórica com o Sport Club do Recife, com quem faz o clássico mais antigo e de maior rivalidade do estado, intitulado de Clássico dos Clássicos, também chamado de Derby Pernambucano, sendo este o terceiro clássico mais antigo do Brasil. Mantém ainda rivalidade com o Santa Cruz Futebol Clube e com o América Futebol Clube, donde o confronto com o primeiro é conhecido como Clássico das Emoções e, com o segundo, Clássico da Técnica e Disciplina.

ÍDOLOS

Kuki e Bizu


Douglas Santos e Nado


Acosta


Ivan Brondi, Marinho Chagas, Salomão, Kuki


Bita



VÍDEOS

Náutico campeão pernambucano 1989 


Náutico campeão pernambucano 2001


Náutico campeão pernambucano 2002


Náutico campeão pernambucano 2004


Torcida do Náutico 2011 – Ano de subida para Série A



Bem..Aí está um pouco da história do Náutico, do Timbu, que não passa por um bom momento, mas com certeza na força de sua tradição e grandeza irá dar a volta por cima.


Semana que vem tem Vitória.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário