quarta-feira, 13 de maio de 2015

CINEBLOG: TROPA DE ELITE



Cineblog fala hoje de um dos maiores sucessos do cinema nacional. Filme que provocou um grande debate no país e deve ser o que mais lançou bordões até hoje.

Cineblog orgulhosamente apresenta:


TROPA DE ELITE



Tropa de Elite, alternativamente conhecido como Tropa de Elite - Missão Dada é Missão Cumprida, é  um filme policial brasileiro de 2007, dirigido por José Padilha, que também escreveu seu roteiro, com Braulio Mantovani e Rodrigo Pimentel, e produziu com Marcos Prado. Tem como tema a violência urbana na cidade brasileira do Rio de Janeiro e as ações do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro

O filme é baseado em elementos presentes no livro Elite da Tropa, de André Batista e Rodrigo Pimentel, em parceria com Luiz Eduardo Soares. É estrelado por Wagner Moura, André Ramiro, Caio Junqueira, Milhem Cortaz, Fernanda Machado, Paulo Vilela, Fernanda de Freitas, Maria Ribeiro e Fábio Lago.

É o primeiro longa de ficção do diretor José Padilha, que anteriormente dirigiu o documentário Ônibus 174 (2002). Foi objeto de grande repercussão antes mesmo de seu lançamento, por ter sido o primeiro filme brasileiro a, meses antes de chegar aos cinemas, vazar para o mercado pirata e a internet. Um dos protagonistas do filme, o ator Caio Junqueira, chegou a declarar que, por mais que achasse a pirataria algo negativo, sabia que havia sido "por causa dela que o trabalho atingiu o público da televisão”. Uma pesquisa feita pelo Ibope chegou a estimar que mais de 11 milhões de brasileiros teriam visto o filme de forma ilegal isso, entretanto, não impediu o filme de ter sido bem-sucedido nas bilheterias, tendo estreado em primeiro lugar..


Sinopse

 Rio de Janeiro, 1997. Roberto Nascimento, capitão da Tropa de Elite do Rio de Janeiro, é designado para chefiar uma das equipes que tem como missão “apaziguar” o morro do Turano por um motivo que ele considera insensato. Mas ele tem que cumprir as ordens enquanto procura por um substituto. Sua esposa, Rosane, está no final de sua gravidez e todos os dias lhe pede para sair da linha de frente do batalhão. Pressionado, o capitão sente os efeitos do estresse. Nesse clima, ele é chamado para mais uma emergência num morro. Em meio a um tiroteio em um baile funk, Nascimento e sua equipe têm que resgatar dois aspirantes a oficiais da PM: Neto Gouveia e André Mathias. Ansiosos para entrar em ação e impressionados com a eficiência de seus salvadores, os dois se candidatam ao curso de formação da Tropa de Elite.


Elenco

 

  • Wagner Moura interpreta o Capitão Nascimento   
  • André Ramiro interpreta o aspirante André Mathias
  • Caio Junqueira interpreta o aspirante Neto Gouveia   
  • Milhem Cortaz interpreta o Capitão Fábio Barbosa   
  • Fernanda Machado interpreta Maria  .
  • Paulo Vilela interpreta Edu   .
  • Fernanda de Freitas interpreta Roberta Nunde   
  • Maria Ribeiro interpreta Rosane   
  • Fábio Lago interpreta Baiano   
  • André Di Mauro interpreta Rodrigues   
  • Marcelo Valle interpreta o Capitão Oliveira  

Repercussão

Tropa de Elite tornou-se notório por diversos pontos. Desde seu lançamento antecipado – que acendeu uma discussão sobre as cópias ilegais de filmes – até o impacto cultural e a inserção de frases do filme no cotidiano brasileiro.

O Capitão Nascimento, interpretado por Wagner Moura, chegou a ser citado pela mídia como um "herói nacional" – questionamento que chegou a estampar a edição da revista CartaCapital que tratava do filme. O Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, declarou que o filme representava de forma apropriada um capitão do BOPE e que Nascimento poderia sim, ser considerado um herói – não pela violência, que "só ocorre na ficção", segundo o secretário, mas por enfrentar "picos de tensão" mas se manter como uma "pessoa muito disciplinada e bem preparada”. O ator André Ramiro, intérprete do personagem André Mathias, não o considera um herói, e chegou a declarar que "Polícia era uma coisa que eu abominava. Continuo com a mesma opinião, mas agora conheço as pessoas".


Recepção da crítica

A crítica de Tropa de Elite foi dividida, mas o filme foi em geral bem recebido pelo público. Artur Xexéo, do jornal O Globo defende o diretor: "Acreditar que José Padilha apoia as práticas do BOPE por ter feito Tropa de Elite faz tanto sentido quanto acusar Francis Ford Coppola de ligações com a Máfia por ter dirigido “O Poderoso Chefão".


A crítica de cinema Isabela Boscov escreveu à Revista Veja que o filme destaca-se não apenas por suas cenas chocantes, mas por romper com "a tradição nacional de narrar uma história pelo ponto de vista do bandido" e com a "visão pia e romantizada do criminoso".


Plínio Fraga, da Folha de S. Paulo, criticou o filme negativamente devido ao fato de se parecer muito com uma produção de Hollywood. O diretor José Padilha respondeu dizendo que, no Brasil, há uma cultura de desvalorização de um filme bem filmado: "Se filmou bem, é hollywoodiano".


Jay Weissberg, da revista cultural estadunidense Variety, ao fazer a crítica sobre o filme um pouco antes do Festival de Berlim, classificou-o como fascista. Ele também criticou negativamente a narração em off do Capitão Nascimento, dizendo que "o narrador onipresente, em vez de aumentar a identificação do público com o personagem, aliena o espectador inteligente, que não precisa que todos os conceitos sejam explicados, uma vez que eles deveriam ser mostrados visualmente".  

Por causa da controvérsia, Tropa de Elite se tornou um dos filmes brasileiros mais comentados da história. Segundo o Datafolha, 77% dos moradores de São Paulo já conheciam o filme. A opinião pública também achou o filme bom, com 80% dos entrevistados avaliando o filme como excelente ou bom.


Em 2011, a desenvolvedora de jogos eletrônicos Rockstar Games publicou uma crítica de Tropa de Elite em seu site, em preparação para o lançamento de Max Payne 3 - jogo que se passa no Brasil e retrata as batalhas entre as unidades especiais da polícia e gangues de favelas. A empresa recomendou o filme para os fãs da franquia Max Payne.  

Prêmios

 

Festival de Berlim, 2008
  • Urso de Ouro de melhor filme.
Festival Hola Lisboa, 2008
  • Melhor filme
Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, 2008
  • Melhor direção – José Padilha
  • Melhor ator – Wagner Moura
  • Melhor ator (coadjuvante/secundário) – Milhem Cortaz
  • Melhor fotografia – Lula Carvalho
  • Melhor maquiagem – Martin Macias Trujillo
  • Melhor montagem – Daniel Rezende
  • Melhor som – Leandro Lima, Alessandro Laroca e Armando Torres Jr.
  • Melhores efeitos especiais – Phil Neilson e Bruno van Zeebroeck
  • Melhor longa-metragem nacional

Semana que vem falamos de sua continuação. O filme nacional mais visto da história. Tropa de Elite II. 

 

CINEBLOG ANTERIOR:

ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE

Nenhum comentário:

Postar um comentário