quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

CINEBLOG: OS SETE GATINHOS


Hoje "Cineblog" encerra seu ano com um clássico de Nelson Rodrigues.

Cineblog orgulhosamente apresenta:


Os sete gatinhos



Os Sete Gatinhos é um filme brasileiro de 1980, do gênero comédia, dirigido por Neville d'Almeida e com roteiro baseado na obra de Nelson Rodrigues.


Sinopse


O filme e o livro contam a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Aracy e Seu Noronha. Seu Noronha, um contínuo da Câmara de Deputados, mora no Grajaú com a mulher, D. Aracy, e suas filhas Aurora, Hilda, Débora, Arlete e Silene, de apenas 16 anos. Esta, a caçula, é a mais mimada de todas e, por ser a única "pura", tem o direito a uma boa educação em um colégio interno. Mas logo a vida deles toma um rumo diferente, quando a garota é acusada, no colégio, de matar a pauladas uma gata grávida. A família Noronha parece tão normal quanto qualquer outra, mas, por trás das aparências, esconde segredos inconfessáveis. As quatro filhas mais velhas se prostituem para garantir a castidade e a boa educação de Silene. A partir do incidente ocorrido na escola, descobre-se a jovem não é pura como todos pensam.


Elenco


Lima Duarte.... Noronha
Telma Reston.... Aracy (Gorda)
Cristina Aché.... Silene
Antônio Fagundes.... Bibelô
Ana Maria Magalhães.... Aurora
Regina Casé.... Arlete
Sura Berditchevsky.... Hilda
Sônia Dias.... Débora
Ary Fontoura.... dr. Portela
Cláudio Corrêa e Castro.... dr. Bordalo
Sadi Cabral.... Saul
Maurício do Valle.... deputado
Guará Rodrigues.... dr. Barbosa Coutinho
Luiz Fernando Guimarães.... Carlão
Sandro Solviatti.... motorista de táxi


Curiosidades



O filme possui alguma das frases mais marcantes da história do cinema nacional. Uma delas é pronunciada quando o personagem "Noronha" vê o banheiro de sua casa pichado: "Eu quero saber quem foi que desenhou caralhinhos voadores na parede do banheiro?". Outra frase é dita durante a discussão entre os personagens de Ary Fontoura (Dr. Portela) e o de Lima Duarte (Noronha) sobre a acusação de Silene, filha de Noronha, ter matado uma gata grávida. Em certo momento da discussão Noronha diz:

"- Quando eu fui matricular Silene na escola eu disse que era funcionário da Câmara, mas eu sou é contínuo! Diz aí, me chama de contínuo!
- Por quê?
- Porque eu quero! Me chama de contínuo!
- …contínuo…
- Contínuo… Eu sou contínuo e você é um filho da p***!"
A frase "Me chama de contínuo" ficou imortalizada desde então, e é citada até hoje..


"Cineblog" encerra seu ano desejando a todos um feliz 2018.


CINEBLOG ANTERIOR:

MOULIN ROUGE

Nenhum comentário:

Postar um comentário