quarta-feira, 28 de outubro de 2015

CARTA PARA DONA ANA




Bom dia dona Ana, tudo bem?

Acredito que agora sim, não é? Estão cuidando da senhora. Algumas vezes a morte pode ser uma benção. Difícil para nós, simples mortais, entender isso. Somos egoístas e queremos ficar com as pessoas, mesmo sofrendo, ao nosso lado sem perceber que a missão delas acabou e tem que partir.

Sou humano, não sou perfeito e também tenho dificuldades em entender a morte. Outro dia mesmo escrevi sobre o pequeno Ben, neto do meu amigo Alexandre Valle que morreu ainda criança. Minha mãe mesmo teve uma história parecida com a da senhora. Sofreu muito e eu lhe amando não percebi que era hora de deixá-la partir.

Por falar nisso pedi que ela olhasse pela senhora. Conversei muito com ela esses dias e suas histórias se parecem. Mais sofrimento que mereciam. Minha mãe cumpriu sua trajetória aqui e seu falecimento me fez crescer, me desenvolver. Dei muitas topadas, mas fazem parte da vida. A sua também se encerrou e brilhantemente. Criou uma família maravilhosa, filhas adoráveis e talvez seja a hora delas serem as matriarcas. Pegarem de frente “o problema” que é cuidar de uma família.

E a senhora cuidou da sua, cuidou de mim. Eu estava desacostumado com isso e me  tratou como um filho. Já perdera minha mãe há alguns anos e quando cheguei em sua casa me lembrei o que era ser filho. Poucas vezes fui tratado com tanto mimo fora de casa. Fez as comidas que eu gostava, leu meu livro vorazmente, não deu vontade de vir embora.

Acho que nem fui porque uma parte de mim ficou aí.

Essas boas lembranças tenho que agradecer a senhora. Como é bom ter lembranças. Como é bom ter histórias pra contar, conviver com pessoas que te acrescentam mesmo que seja por pouco tempo. Tive tudo isso.

E obrigado por nossa florzinha. A Hellen.

Às vezes acho que faltaram umas palmadas nela (estou brincando), mas a senhora me deu um presente. A Hellen entrou na minha vida para me fazer bem, sentir amado, querido, protegido. Temos gênios fortes e isso de vez em quando traz ruídos na comunicação. Mas ela é linda, maravilhosa, amável, doce, companheira, amada. Uma pessoa que eu amo, entrou em minha vida para ficar. Infinito.

Que bom que a senhora me deu um bem tão precioso e que bom que  pude participar de alguns dos doces momentos entre vocês.

Mas essa carta não é apenas para dizer o quanto a senhora é especial e agradecer. É para dizer que agora é comigo. Se sua filha deixar, não implicar muito comigo (Brincando de novo) cuidarei bem dela. Hellen, Miguel e Dani são minha família agora junto com Gabriel e Bia. Descanse, deixe o serviço comigo agora que farei com maior prazer.

Tenho enxugado as lágrimas da Hellen e dentro do possível ficado ao seu lado a cada suspiro de saudade. Não tive isso quando a minha partiu então sei o quanto é importante. Uma hora o choro dela vai cessar, minha manga não estará mais molhada com suas lágrimas e a vida vai continuar. Mas a senhora sabe que nesse momento o amor por ti não acabará, simplesmente será transformado em saudade.

É o ciclo da vida dona Ana, a senhora sabe bem. Sábado foi a senhora, com o tempo serei eu, a Hellen e a vida têm graça por causa disso. Ela nunca finda, sempre se perpetua enquanto existir amor.

E amor existe muito. Nosso pela senhora e entre nós.

Vai com Deus dona Ana, pegue em sua mão e vá para uma vida mais feliz que vinha tendo aqui. Nós os egoístas, vamos entender isso. Volte para casa e espere por nós aí.

A todos nos toco emigrar alguna vez....todo se regresa.


Grazie...


4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te amo meu amor, minha companheira. Agora é comigo

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Que lindooooooo, amor...
      Te amo sempreeeeee...

      Excluir