terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

O CLUBE DOS 12: VILA ISABEL


Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Vila Isabel (ou simplesmente Unidos de Vila Isabel) é uma escola de samba da cidade Rio de Janeiro. Atualmente está sediada no Boulevard 28 de setembro, no bairro Vila Isabel.

Foi campeã do Grupo Especial do Carnaval em 1988, 2006 e 2013.

A Vila Isabel possui uma quadra moderna que foi construída pelo Presidente Wilson Moisés, sendo a segunda maior quadra entre todas as escolas de samba do Rio de Janeiro, só ficando atrás apenas da quadra da Mocidade Independente, que tem 33 mil metros quadrados. A quadra da Vila tem capacidade para 11.000 pessoas em 4.000 metros quadrados de área construída, seu palco tem 300 metros quadrados. Há camarotes luxuosos que são frequentados por ricos, famosos e diretores da escola. No local costumam ocorrer shows de grandes artistas e bandas pertencentes ao projeto "Casa de Bamba".

Em seu brasão há a coroa da Princesa Isabel, aonde figuram na parte de cima um resplendor com uma fita azul aonde se encontram as iniciais da agremiação (GRESUVI), e na parte de baixo, se vêem uma clave de sol, um pandeiro e a pena de Noel Rosa.

O futebol está ligado à fundação da Unidos de Vila Isabel, pois existia no bairro, em 1945, um bloco conhecido como Vermelho e Branco. O afastamento de alguns componentes resultou na criação de um time de futebol com as cores azul e branco, posteriormente transformado em um novo bloco carnavalesco. Antônio Fernandes da Silveira, o "China", registrou a sociedade na União Geral das Escolas de Samba, fundando, assim, no dia 4 de abril de 1946, a escola.

A casa de "China", primeiro presidente da escola, serviu até 1958 como sede administrativa da agremiação. Os ensaios eram realizados no Campo do Andaraí. O primeiro enredo da Vila, De Escrava a Rainha, contou com apenas 100 componentes desfilando na Praça Onze: 27 ritmistas, 13 baianas e mais 50 pessoas. Paulo Brazão, um dos fundadores da escola, foi um dos maiores ganhadores de samba-enredo da Vila Isabel, em 1960, a escola ficou em primeiro lugar no Grupo 3, com o enredo Poeta dos Escravos.

Uma das figuras mais conhecidas da escola é, sem dúvida, Martinho da Vila. Sua entrada na agremiação aconteceu em 1965: ele fazia parte da Escola de Samba Aprendizes da Boca do Mato e já estava partindo para o Império Serrano, quando surgiu o convite para integrar a ala de compositores da Vila Isabel. Na nova escola, Martinho reestruturou a forma de compor samba-enredos, com a introdução de letras e melodias mais suaves, emplacando 4 sambas consecutivamente. No carnaval de 1967, Martinho da Vila compôs Carnaval de Ilusões, em 1968 Quatro Séculos de Modas e Costumes, em 1969, Iaiá do Cais Dourado e em 1970, Glórias Gaúchas.

Em 1979, a Vila saiu vitoriosa do Grupo 1B, com um enredo feito por Yêdda Pinheiro, falando sobre Os dourados anos de Carlos Machado. Foi a primeira vez que uma escola homenageou um vulto da cultura ainda vivo. Hoje é lugar comum, mas esta foi a primeira vez em que isto foi feito.

No grupo especial, a Vila Isabel conquistou apenas seu primeiro campeonato, em 1988,desfile do samba-enredo Kizomba, a festa da raça. O desfile marcou a passarela do samba, por abusar de materiais alternativos, como a palha e sisal, e pela garra dos componentes da escola. Para muitos que conhecem bem os desfiles de escolas, este talvez tenha sido o melhor desfile de que se há notícia. Infelizmente, devido a um grave temporal, que deixou a cidade do Rio de Janeiro em estado de calamidade pública, o Desfile das Campeãs não foi realizado.

Em 2015, a Vila Isabel ficou na penúltima posição na classificação dos desfiles com enredo sobre o maestro Isaac Karabtchevsky. Em 8 de maio do mesmo ano a então presidente Elizabeth Aquino renunciou ao cargo, alegando incompatibilidade de pensamentos com membros de sua própria diretoria. Em seu lugar entrou Luciano Ferreira, que além de reforçar o carro de som com a chegada de Igor Sorriso - vindo da São Clemente, contratou o carnavalesco Alex de Souza que em 2016 desenvolverá o enredo "Memórias do 'pai Arraia' - Um sonho pernambucano, um legado brasileiro" que homenageia a cultura de Pernambuco e o político Miguel Arraes. Em 24 de dezembro de 2015 a escola perde o compositor Leonel, morto na porta de sua residência.


Personalidades

Levi Junior (Presidente)


Alex de Souza (Carnavalesco)


Junior Schall (Diretor de carnaval)


Mestre Wallan (Mestre de bateria)


Igor Sorriso (Intérprete)


Patrick Carvalho (Comissão de frente)


Raphael Rodrigues e Amanda Poblete (Mestre Sala e Porta bandeira)


ANOS DE DESTAQUE

Yá-Yá do Cais dourado (1969)


Sonho de um sonho (1980)


Para tudo se acabar na quarta-feira (1984)


Raízes (1987)


Kizomba, a festa da raça (1988)


Direito é direito (1989)


Gbala, viagem ao templo da criação (1993)


Muito prazer! Isabel de Bragança e Drummond Rosa da Silva, mas pode me chamar de Vila (1994)


Soy loco por ti América: A Vila canta a latinidade (2006)


Você semba lá..Que eu samba cá! O canto livre de Angola (2012)


A Vila canta o Brasil, celeiro do mundo - Água no feijão que chegou mais um (2013)


Bem. Aí está um pouco da história da Vila Isabel que será a quarta a escola a desfilar no domingo 26/2/2017 com esse samba.


Amanhã tem Acadêmicos do Grande Rio.


O CLUBE DOS 12 ANTERIOR;

SÃO CLEMENTE  

Nenhum comentário:

Postar um comentário