terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O CLUBE DOS 12: PARAÍSO DO TUIUTI


Hoje o blog interrompe as férias para começar uma sessão nova que irá até o carnaval. Seguindo o estilo de "O clube dos 23" onde contamos um pouco da história de 23 clubes do futebol brasileiro inicio hoje "O clube dos 12" onde falo um pouco das 12 escolas de samba que desfilarão no grupo especial do Rio de Janeiro nos dias 26 e 27 de fevereiro de 2017.

Com vocês "O clube dos 12"


PARAÍSO DO TUIUTI



O Grêmio Recreativo Escola de Samba Paraíso do Tuiuti é uma escola de samba sediada no município do Rio de Janeiro, no Brasil tendo origem no Morro do Tuiuti, situada no bairro de São Cristóvão.

A história da Paraíso do Tuiuti remonta às antigas agremiações do bairro, Unidos do Tuiuti, que participava do carnaval desde a década de 1930, e Paraíso das Baianas. Após a Segunda Guerra Mundial, a Unidos do Tuiuti desapareceu, e em seu lugar nasceu o Bloco dos Brotinhos. A comunidade do morro, sem dinheiro para acompanhar um carnaval mais sofisticado, preferia sair no bloco, desprezando a Paraíso das Baianas. Foi então que um grupo de sambistas se reuniu, entre eles, Nélson Forró e Júlio Matos, e resolveu terminar com o bloco e também com a Paraíso das Baianas, fundando a 5 de abril de 1954 a Paraíso do Tuiuti. A nova agremiação ganhou as cores amarelo (herdado da Paraíso das Baianas) e azul (herdado da Unidos do Tuiuti).

A atuação da Paraíso, de início, foi discreta, mas em 1968, com o enredo de Júlio Matos homenageando o bairro de São Cristóvão, tira o primeiro lugar no Grupo 3 e vai para o Grupo 2. No ano seguinte consegue o terceiro lugar no Grupo 2, com um ponto atrás da Unidos do Jacarezinho, vice-campeã.

De fato, até o início da década de 1980 quase ninguém ouviu falar da escola, mas a partir de então, a escola viveu um momento de grande euforia, graças ao empenho da carnavalesca Maria Augusta Rodrigues, que deu o título do Grupo A para a escola que não tinha patrono, fenômeno típico das grandes escolas, que conferem fama e prestígio a quem delas se aproxima. A Paraíso do Tuiuti não pôde contar senão com a pequena subvenção oficial para fazer frente aos altos gastos que o Carnaval, com as características que tomou nos nossos dias, exige.

No final da década dos anos 1990, a escola não cessou de crescer e fortalecer-se, até que, convidada a participar do Grupo A em 2000, apresentou o enredo sobre Dom Pedro II e se sagrou vice-campeã, no desempate com a escola Em Cima da Hora, adquirindo o direito de desfilar em 2001 no Grupo Especial.

No Grupo Especial, a escola contou a história de um mouro que saiu da Espanha, em direção à Meca e acabou no Brasil, guerreando no Quilombo dos Palmares. Considerada como zebra do grupo de acesso A em 2000, a escola a adotou como mascote, e as trouxe no África Livre. A escola teve muitos problemas com seus carros alegóricos.

Em 2002, de volta ao Grupo de Acesso, a Tuiuti encerrou o desfile com o dia amanhecendo, numa trégua da chuva e poucas pessoas nas arquibancadas. O enredo era uma homenagem ao carnavalesco Arlindo Rodrigues, célebre por antigos carnavais no Salgueiro e Imperatriz.

Em 2003, a Tuiuti se destacou no grupo de acesso. Com o enredo em homenagem ao centenário do pintor Cândido Portinari, apresentou um criativo desfile desenvolvido pelo carnavalesco Paulo Barros. A comissão de frente entrou com saias de pincéis giratórios, vestida de paleta de tinta em uma aquarela. No abre-alas,a grande coroa, símbolo da escola, feita com 7 500 latas de tinta, inclusive com tampas revestindo o piso, gerando um belo efeito visual. O carro com esculturas de negros carregando sacos de café, sem figuras vivas e com canhões de luz de baixo para cima, também causava impacto, assim como a alegoria que trazia espantalhos de campos de milho que coreografavam para assustar os corvos. Apesar do terceiro lugar, o desfile foi tão surpreendente que a Unidos da Tijuca convidou Paulo Barros para desenvolver o enredo da escola do Borel em 2004 no Grupo Especial, escrevendo nova história do carnaval carioca.

Para 2016, a escola manteve Jack Vasconcelos, apesar deste também assinar o carnaval da União da Ilha. Daniel Silva continuou a frente do carro de som da escola e, a princípio, faria dupla com Ciganerey (que chegou a gravar o CD da Série A) porém, este foi chamado para assumir o microfone principal da Mangueira devido ao falecimento do interprete Luizito. Porém, Daniel ganhou a companhia de Leandro Santos, que havia saído da Estácio de Sá. Na bateria, continuou o premiado Mestre Ricardinho, visando trazer os 120 pontos para a escola no quesito, já que em 2014 e 2015 a bateria Super Som garantiu a nota máxima (40 pontos) para a agremiação. Com o enredo "A Farra do Boi" a escola fez um desfile empolgante e conquistou a Série A perdendo apenas 0,1 dos 270 pontos possíveis, garantindo assim seu retorno ao Grupo Especial depois de 15 anos.

Para o carnaval de 2017, a escola se reforçou com o experiente casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira Marquinhos e Giovanna, vindos da Viradouro e com o intérprete Wantuir, vindo da Portela. A princípio, Wantuir faria dupla com Daniel Silva, mas este deixou a escola. O enredo será "Carnavaleidoscópio Tropifágico" sobre os 50 anos do movimento Tropicália.

Destaques do Tuiuti

Thor (Presidente)


Wantuir (Intérprete)


Jaime Aroxa (Coreógrafo)


Marquinhos e Giovana (Mestre Sala e Porta Bandeira)


Ricardinho (Mestre de bateria)


Jack Vasconcelos (Carnavalesco)


Anos de destaque

Um monarca na Fuzarca (2000)


Um mouro no quilombo, isto a história registra (2001)


Arlindo, arlequins e querubins: Um carnaval no paraíso (2002)



Tuiuti desfila o Brasil em telas de Portinari (2003)


A farra do Boi (2016)


Aí está um pouco da História do Paraíso do Tuiuti que abrirá os desfiles do grupo especial no domingo 26 de fevereiro com esse samba.


Amanhã "O clube dos 12" continua com União da Ilha do Governador.


5 comentários:

  1. Parabéns amigo Aloísio Villar, você só escreve coisas bonitas.

    ResponderExcluir
  2. A foto de Jaime Aroxa esta errada. Tem foto de Ricardinho

    ResponderExcluir
  3. Aloísio, por favor envia para mim o depoimento sobre a União da Ilha, que já procurei e não encontrei.

    ResponderExcluir