terça-feira, 18 de março de 2014

SONHOS DE RAINHA


*Capítulo da coluna "Enredo do meu samba" publicado no blog Ouro de Tolo em 28/9/2013


Confesso que tive que rir do drama do rei momo. Etiópia perguntou se eu estava rindo dele e falei que não. Segurei alguns segundos e gargalhei pedindo desculpas. Sério o rei momo disse que não tinha graça, depois começou a rir também e aceitou “é, tem graça sim”.

Perguntei se ele tinha notícias da loura e Etiópia comentou que nunca mais viu. Olhou pro céu e disse “graças a Deus”. Falei que realmente ele tinha pego trauma e Etiópia confirmou dizendo “Com certeza, não quero saber mais de mulher magra, agora só quero gordinha.

Comentei que ele fazia bem quando o rei momo se despediu e caiu novamente na piscina. De novo me molhando todo.

Estava na hora de trabalhar. Levantei e voltei para o quarto. Tomei uma ducha, me vesti e parti até a praia pra acompanhar o campeonato de surf.
Como eu já disse não entendia nada do assunto e pedi ajuda para uma das organizadoras do evento. Simpática a mulher me dava todas as instruções e explicava o que acontecia enquanto eu anotava.

Até que comecei a achar interessante. Nunca fiquei em pé numa prancha na vida, o máximo que fiz foi andar de skate, mas achava o surf bonito. Aquela galera toda alto astral, dourada pela praia. Só faltou tocar “Garota eu vou pra Califórnia” pra entrar totalmente no clima.

Fora que minha “professora” era linda.

Etiópia passou pela gente e brinquei perguntando se ele iria surfar. O rei momo respondeu que não e comentou baixinho comigo “Bonita a moça, parece a Carol”.

Ri e perguntei ao homem “Será que ela também é uma nazista alimentar?”.

Etiópia fez sinal da cruz e me disse “chama pra sair”. Eu fingindo seriedade falei “sei lá, vai que ela me força a fazer dieta”. Etiópia sorriu e respondeu “você não precisa”.

O homem saiu de perto e me enchi de coragem pra convidá-la pra beber alguma coisa depois. Ela sorriu e respondeu que não bebia, apenas suco e perguntei se ela tinha algo contra pizza.

A mulher deu um sorriso lindo, respondeu que não e que me esperaria as oito no saguão do hotel. Completou dizendo que se chamava Andressa.

Mané mesmo que eu sou. Desacostumei tanto a paquerar que nem tinha lhe perguntado o nome.

As oito eu estava lá. Andressa estava linda e eu enfeitiçado dei a mão e perguntei “Vamos?”. Fomos até o bar do restaurante, conversamos um pouco, de repente começamos a nos beijar e quando dei por conta já entrava em seu quarto.

Fizemos amor a noite toda. Primeira vez em muitos anos que eu fazia amor com uma mulher que não era a Bia e me senti bem. De manhã estávamos abraçados na cama e pensei “É, até que posso viver sem minha ex”.

Andressa séria perguntou se eu era jornalista mesmo. Respondi que
sim e que era verdade que estava lá cobrindo o campeonato. Ela pediu desculpas por duvidar e comentou que não teve certeza por eu não entender nada de surf. Ri e respondi que o esporte não era minha área.

Comentou que tinha uma irmã linda que foi para o Rio tentar a sorte e virou até rainha do carnaval. Falou em samba o sentido escritor aguçou e respondi “interessante”. Andressa continuou falando e comentou que eu como jornalista talvez pudesse ajudar.

Pronto, aí que fiquei totalmente curioso. A mulher mexeu com meu lado jornalista e escritor. Então pedi que me contasse.

Mariana era irmã mais nova de Andressa e como a mulher me contou veio tentar a sorte no Rio. Ao contrário de Jece Arruda não veio de família pobre e conseguiu se estabelecer num pensionato da cidade e recebia mensalmente dinheiro dos pais pra se manter no Rui.

Tentou a sorte como modelo, mas estava difícil. Fez book, correu atrás e enquanto não conseguia realizar esse grande sonho foi trabalhar numa loja de cosméticos do shopping.

Um dia com as amigas foi na quadra da Inocentes de Belford Roxo e se apaixonou pela batucada. Caiu logo no samba impressionando os diretores da agremiação que lhe chamaram pra entrar na ala de passistas.

Mariana topou e participou dos ensaios com afinco. Foi com a escola para Sapucaí e deu um show de beleza e samba no pé. No ano seguinte o cargo de rainha de bateria ficou vago. A escola chegou a pensar em chamar uma celebridade, mas mudou de ideia resolvendo dar chance para alguém da casa.

E a escolhida foi Mariana.

Ela nunca que esperaria por isso. Veio para o Rio de Janeiro tentar a vida de modelo. Até aquele momento esse sonho não se realizava, mas outros que ela nunca poderia imaginar ter surgiram. Ligou para Andressa e em pouco tempo a cidade que moravam, no interior do Paraná, toda soube que tinha uma filha ilustre rainha de bateria de uma escola.

Mariana continuava correndo atrás da vida de modelo batendo com a cara nas portas das agências. Decidiu não desistir, mas adiar seu sonho. A Inocentes precisava dela e a rainha decidiu se dedicar ao cargo que lhe foi oferecido.

A moça não faltava a um ensaio e além de ensaiar na quadra também ensaiava em uma academia. Saía do trabalho e ensaiava mais quatro horas por dia chegando em casa morta. Cuidou da alimentação e conseguiu ficar ainda mais bonita. Nos ensaios técnicos na avenida já mostrava que não deixaria nada a dever para as rainhas celebridades e arrebentaria no desfile.

E arrebentou sendo considerada a melhor rainha do grupo de acesso. Isso lhe animou. Correu de novo atrás das agências, mas nada. Estava difícil para realizar seu sonho e a moça do Paraná desanimava.

Até que uma amiga comentou que abrira inscrições para rei momo e rainha do carnaval.

Mariana não se animou e a amiga insistiu para que ela tentasse. O cargo de rainha poderia lhe trazer visibilidade e finalmente conseguir virar modelo. A moça contou que não sabia se era uma boa e que até pensava em largar o carnaval quando a amiga pegou sua mão e disse “Vai, tente, nem que seja pela última vez”.

Mariana tentou e lá conheceu Etiópia em sua fase pré Carol. O homem logicamente foi eleito rei momo e Mariana conseguiu se tornar rainha do carnaval.

Foi uma conquista incrível para a moça do interior. Saiu de um lugar que nem carnaval tinha para se tornar rainha do carnaval do Rio de Janeiro. Aproveitou aquela fase muito bem. Foi a várias escolas, muitos eventos. 

Tornou-se mais conhecida e recebeu muitas promessas para sua carreira de modelo.

Até proposta de uma revista masculina recebeu. Mas não era isso que queria, queria ser modelo.

O carnaval chegou e lá estava Mariana junto com as princesas do carnaval e o rei momo na frente das escolas abrilhantando a Marquês de Sapucaí lotada. Mariana se sentiu uma rainha mesmo, poderosa. A dona do carnaval.

Enquanto passava viu um homem bonito em um camarote de cervejaria que não tirava os olhos dela. Grisalho, charmoso. O homem devia ter uns quarenta e poucos anos e acompanhou todos os passos de Mariana pela avenida.

Não se sabe por qual motivo, mas Mariana também se encantou pelo homem. Não conseguiu tirar os olhos dele e sorriu em sua direção antes que os olhos não pudessem mais se cruzar.

Depois a moça foi com a corte real para o camarote da prefeitura e de lá recebeu um convite para ir ao camarote da cervejaria. Mariana relutou, mas acabou cedendo e indo até o local.

Lá viu todas aquelas pessoas importantes que se acostumara a ver apenas pela tv e se encantou. Em determinado momento o homem grisalho se aproximou. Apresentou-se como Rubens e que era um prazer recebê-la.

Conversaram durante um tempo. Papo vai, papo vem, bebidinha vai, bebidinha vem e os dois já estavam se beijando. De lá foram direto pro triplex de Rubens em Ipanema e transaram.

Enquanto Mariana se vestia pra ir embora Rubens comentou que era muito bonita e arrumaria um trabalho de modelo para ela. A moça riu e respondeu que já estava cansada de promessas.

Sério Rubens se levantou e disse que nele podia confiar. Em pouco tempo daria resposta de um trabalho.

Mariana foi embora sem confiar e nem pensou no assunto durante o dia. Apenas no homem lindo e charmoso que conhecera. Os dias foram passando, as semanas também e a moça cada vez mais encantada com o homem sedutor. Um dia Rubens deu um anel para Mariana e falou que agora tinham um compromisso.

Mariana estava apaixonada. Nem pensava mais tanto na carreira de modelo, queria viver essa felicidade com aquele homem que surgiu do nada em sua vida. Uma noite Rubens ligou pedindo que lhe encontrasse em um restaurante.

A moça foi e lá o homem depois de pedir champanhe contou que tinha uma surpresa pra ela. Curiosa Mariana perguntou o que era e o homem respondeu “Lembra que te fiz uma promessa? Então, trabalho de modelo lá na Espanha”.

Mariana engasgou com a novidade e Rubens continuou falando “Tenho contatos com uma agência de lá. Mostrei suas fotos e se interessaram. No começo será modelo fotográfica, mas com o tempo até nas passarelas pode chegar. O céu é o limite para você. Será uma estrela”.

Era o sonho de Mariana se realizando, mas a moça ficou reticente e não sabia se devia aceitar ou não. Uma mudança muito brusca de vida. Rubens argumentou que oportunidades não se perdiam e se ela topasse embarcaria pra Barcelona em dez dias. Perguntou se a moça tinha passaporte e ela respondeu que sim.

Rubens então completou “É pegar ou largar”.

Era uma mudança brusca, uma reviravolta na vida, mas um sonho que poderia realizar e Mariana não sabia se teria outra chance igual. Não tinha medo de mudanças e desafios. Pediu um tempo para pensar.

Conversou com as amigas que incentivaram que topasse. Com a irmã que pediu que pensasse bem. Foram três dias pensando até que ligou para Rubens dizendo que topava.

Quando chegou o dia arrumou as coisas, despediu-se das amigas e ligou pra Andressa contando que ligaria de Barcelona. Pegou a mala e foi pro aeroporto.

Lá deu um beijo em Rubens agradecendo por tudo e que nunca esqueceria a ajuda. Rubens respondeu ter certeza que nunca esqueceria e que no final de semana estaria na cidade com ela.

Mariana andou até a porta de embarque. Acenou e partiu com um intermediário da agência.

Assim que a moça entrou Rubens pegou o telefone e ligou. 
      
“Ta tudo certo, a otária já embarcou. Essa aí vai render muito dinheiro pra gente. Tem que ver como rebola”.

Mariana, rainha do carnaval do Rio de Janeiro deixou a cidade para ser modelo e na verdade seria escrava sexual na Europa.

Os sonhos às vezes cobram seu preço.




ENREDO DO MEU SAMBA (CAPÍTULO ANTERIOR)

REI MOMO SARADO

Nenhum comentário:

Postar um comentário